NOTÍCIAS

Saiba o que é tolueno, poluente que parou abastecimento de água em Niterói, São Gonçalo e região

Água contaminada levou Cedae a parar operação em sistema que abastece Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e a Ilha de Paquetá, na capital, na quarta-feira (3). Moradores relatam falta d’água em várias regiões.

 

Saiba o que é tolueno, poluente que parou abastecimento de água em Niterói, São Gonçalo e região

tolueno, poluente encontrado em manancial que levou à interrupção da operação no sistema que abastece de água tratada as cidades de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, e a Ilha de Paquetá, na capital, é usado na fabricação de gasolina e altamente danoso à saúde se ingerido ou inalado.

O produto químico é inflamável, incolor, volátil e de odor característico. É utilizado com frequência como matéria-prima de solventes orgânicos em colas e tintas, além de estar presente na borracha; colas e adesivos para ajudar a secar, dissolver e diluir outras substâncias; diluentes de tinta; limpadores de pincéis, esmaltes; removedores de manchas.

A operação no sistema Imunana-Laranjal, que abastece 2 milhões de pessoas, foi interrompida nesta quarta-feira (3). A paralisação foi às 5h59, “em razão de alteração da qualidade da água bruta (ainda não tratada) no manancial de captação”, segundo informou uma nota conjunta da Cedae e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Uma equipe de emergência do Inea foi ao local para tentar identificar a origem do poluente encontrado.

“A Cedae e o Inea tranquilizam a população de que não há risco de a substância chegar às residências, porque a captação só será retomada quando a água estiver totalmente adequada para consumo humano”.

Não há prazo para que o sistema volte ao normal. Por isso, a “orientação é para que a população faça uso consciente da água, adiando tarefas não essenciais que exijam grande consumo”, diz a nota da Cedae.

Mancha escura

g1 questionou Cedae e Inea para saber se é investigado se a mancha é causada pelo tolueno e aguarda resposta. A equipe de reportagem também perguntou se barreiras de proteção foram instaladas no local.

Moradores relatam falta d’água

A suspensão da operação completou 30 horas, e moradores de diversos bairros de São Gonçalo e Niterói já relatam torneiras secas. Em nota, a Cedae informa que ainda não tem um prazo para que o sistema volte a operar.

Vagner Ferreira Leite, morador de Tribobó, São Gonçalo, diz que a população está sofrendo muito.

“Com esse calor está difícil. Crianças e idosos sofrendo muito, sem contar a sujeira que fica em casa. Espero que normalize o mais rápido possível,” comentou.

“Aqui em Niterói estamos sem uma gota de água. Estamos tendo que carregar baldes e precisamos urgentemente de um caminhão pipa,” denuncia Nelcimar Brandão Cavalcante, morador do bairro do Caramujo.

Philip Fiau, morador de São Gonçalo, fala sobre como a falta d’água está afetando o funcionamento escolar na região.

“A Escola Municipal Alberto Torres, Colubandê, está sem aula por causa da água”, diz.

Em Niterói, muitos moradores começaram a procurar os supermercados para garantir um estoque de água suficiente para enfrentar o desabastecimento provocado pela paralisação do Sistema Imunana-Laranjal.

Diante do problema, a Prefeitura de Niterói divulgou um comunicado pedindo que os moradores do município economizem água até que o abastecimento seja normalizado.

“O abastecimento de água da cidade continua suspenso, devido à paralisação do Sistema Imunana-Laranjal, operado pela Cedae, e não tem previsão de retorno. Por isso, pedimos à população que economize água até que o abastecimento seja normalizado”, dizia o comunicado da prefeitura.

Muitos condomínios, empresas e prédios públicos também já estão alertando seus frequentadores para que tenham cuidado no uso da água. Alguns locais já estão prevendo um período de racionamento.

O que diz a Águas de Niterói

Em nota, a concessionária Águas de Niterói, responsável pela distribuição da água em Niterói, informou que o abastecimento em toda a cidade continua suspenso e sem previsão de retorno. A empresa reforçou que os clientes devem economizar água até que o abastecimento seja normalizado.

“A concessionária esclarece que não há nenhum risco de a população da cidade ter recebido água imprópria para consumo. A Cedae interrompeu o sistema antes da captação da água ser contaminada e garante que a operação só será retomada quando a água estiver totalmente adequada para o consumo humano. Antes de chegar às residências, a água distribuída pela concessionária passa por rigorosos testes, que comprovam o atendimento a todos os parâmetros de potabilidade exigidos pelo Ministério da Saúde.”

“Águas de Niterói segue acompanhando o processo de restabelecimento do sistema, incluindo as análises da água, controlando os reservatórios da cidade, e enviando comunicações aos clientes. Águas de Niterói está com 30 caminhões-pipa abastecendo os locais que prestam serviços essenciais”.

Fonte: g1


ÚLTIMAS NOTÍCIAS:  VOTORANTIM BUSCA NOVAS OPORTUNIDADES EM INFRAESTRUTURA E SANEAMENTO, DIZ CEO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: PESQUISA REVELA CONTAMINAÇÃO POR MERCÚRIO EM 84% DA POPULAÇÃO YANOMAMI DE NOVE ALDEIAS EM RORAIMA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
Eliminação de odores a partir do SDOX

Eliminação de odores a partir do SDOX

O SDOX®, da ChartWater, tem uma ampla gama de aplicações em diversas indústrias e cenários. Desde o tratamento de efluentes industriais até o controle de odores, passando pela purificação de águas em rios, córregos e outras possibilidades vastas e promissoras.

Continuar lendo »
ALADYR pede ação imediata sobre mudança climática após desastre no Rio Grande do Sul

ALADYR pede ação imediata sobre mudança climática após desastre no Rio Grande do Sul

Diante do impacto das chuvas no Rio Grande do Sul, que afetaram centenas de milhares, a ALADYR pede aos governos e entidades privadas que acelerem a implementação de políticas de adaptação e mitigação do climática. A organização destaca a importância de atualizar a legislação, promover o reúso de água e adotar inovações como o modelo de “cidade esponja” para enfrentar efetivamente esses desafios iminentes

Continuar lendo »