NOTÍCIAS

Usina Termelétrica do Pecém/CE investe R$ 1,2 milhão em reúso de água

Com o projeto, 23% do resíduo gerado – o equivalente a 20 mil m³/mês – deixaram de ser descartados

termo-eletrica

Resíduo não descartado vai para uma estação de tratamento de água e, após esse processo, retorna para abastecer os sistemas de torres de resfriamento

A Usina Termelétrica do Pecém (UTE Pecém), localizada em São Gonçalo do Amarante (CE), vai receber um investimento anual de R$ 1,2 milhão para projetos voltados à redução do consumo de água e ainda ao reúso dos efluentes. Do montante total, 66% será disponibilizado pela companhia do setor elétrico, EDP Brasil, e 33% pela Eneva, empresa que tem participação na produção da usina Pecém II.

Por meio do projeto, o consumo de água na usina já caiu em torno de 100.000 metros cúbicos (m³) por mês. A pretensão, entretanto, é alcançar uma economia anual de mais de 1.200.000 m³/ano.

Com o reaproveitamento e tratamento dos efluentes, realizado com o auxílio de um sistema compacto e moderno de clarificação da água, 23% do resíduo gerado – o equivalente a 20 mil m³/mês – deixaram de ser descartados e fazem parte do processo de geração de energia elétrica. E a meta da EDP é triplicar esse volume recuperado, de 20 mil para mais de 57 mil m³ mensais, até o m de 2018.

Sistema de abastecimento construído para o parque industrial do Pecém

Na prática, o resíduo não descartado na natureza é tratado em uma Estação de Tratamento de Água (ETA) e, após esse processo, retorna para abastecer novamente os sistemas de torres de resfriamento. Hoje, a água utilizada pela usina é oriunda do sistema de abastecimento construído para o parque industrial do Pecém.

“A UTE Pecém é uma das mais eficientes do País. Por conta disso, todos os anos investimos em ações para reduzir o consumo de água, diminuindo o impacto no meio ambiente”, reforça o diretor técnico da UTE Pecém, Lourival Teixeira.

Outra inovação adotada pela EDP na usina foi a implantação de um sistema de alta tecnologia, inédito no Brasil, para o tratamento da água de recirculação das torres de resfriamento, a m de aumentar os ciclos de concentração de 3,5 para 12 vezes, e de reduzir a necessidade de descarte e reposição de água. A iniciativa gerou, ainda, uma redução de até 80 mil m³/mês no consumo de água do sistema de resfriamento da Usina.

Focada na redução do gasto de água, desde o início de suas atividades, em 2012, a EDP conta com projetos de pesquisa e desenvolvimento, envolvendo reúso e potabilização de água para a comunidade, que somam mais de R$ 3,4 milhões.

De acordo com a companhia, a água poupada desde a implementação dos projetos seria suficiente para abastecer, durante seis meses, uma cidade com cerca de 48 mil habitantes.

Capacidade máxima

Com unidades geradoras no Pecém, com capacidade de produção de 720 megawatts hora (MWh), a EDP entrega hoje ao Sistema Interligado Nacional (SIN) 100% da capacidade da Usina, o equivalente a 45% da energia consumida em todo o Estado do Ceará. Até junho de 2018, já havia despachado aproximadamente 98% da sua capacidade total.

Fonte: Diário do Nordeste.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
SOS Rio Grande do Sul

EP se mobiliza para apoiar vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul

Em meio a tempos desafiadores, onde a solidariedade e o apoio mútuo se tornam ainda mais essenciais, a EP tem o orgulho de anunciar seu papel ativo na assistência às vítimas das recentes tempestades que assolaram o Rio Grande do Sul. Conscientes da necessidade urgente de ajuda, mobilizamos nossos mais de 550 colaboradores em uma campanha solidária destinada a fornecer apoio vital para as comunidades afetadas.

Continuar lendo »