Notícias

Seminário Toray: Tratamento de Águas, Efluentes e Reúso com Membranas

Publicado em 14/10/2016 às 14:08:58

toray-logo-pagina-empresa-2

A Toray (www.toray.com.br) realizou nos dias 20 e 21 de setembro de 2016 no Hotel Intercontinental em São Paulo, o 4º Seminário: Tratamento de Águas, Efluentes e Reúso com Membranas.

O Grupo Toray é um grupo integrado do setor químico com sede no Japão, que desenvolve seus negócios em 26 países e regiões em todo o mundo.

O grupo combina a nanotecnologia em suas operações, usando química orgânica sintética, química de polímeros e biotecnologia como suas principais tecnologias. Além dos negócios básicos de fibras e têxteis e plásticos e produtos químicos, a Toray também promove o desenvolvimento global de produtos relacionados a TI, materiais compostos de fibra de carbono, produtos farmacêuticos e médicos, meio ambiente e engenharia, incluindo tratamento de água e progresso em outras áreas essenciais de negócios.

Emilio Gabbrielli, Diretor de Desenvolvimento de Negócios Global da Toray e presidente da Associação Internacional de Dessalinização e Reúso (IDA), apresentou o desenvolvimento das membranas, mercado e oportunidades.

Sobre o futuro da dessalinização e reúso, o executivo destacou:

  • Osmose reversa continuará dominando
  • Água do mar ou SWRO (Sea Water Reverse Osmosis) irá se tornar dominante no fornecimento de água na costa das regiões áridas
  • Dessalinização de água salobra será onipresente
  • Reúso potável direto não será mais uma curiosidade
  • Mais sistemas de Osmose Reversa pequenos e médios
  • Custos de dessalinização provavelmente não diminuirão.

“ Dessalinização e reúso de águas, em particular a tecnologia de membranas filtrantes, vai desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento da humanidade. Como já acontece para garantir o funcionamento dos nossos corpos. O mundo está percebendo que precisa destas tecnologias que ficaram mais baratas e confiáveis”, afirmou Gabbrielli.

De acordo com Gabbrielle, o Sheraton World Trade Center (WTC) em São Paulo, foi escolhido como o local do IDA 2017 World Congress (wc.idadesal.org), Reúso de Água e Dessalinização que será realizado de 15 a 20 de outubro de 2017.

Alessandra Piaia, Engenheira de Aplicações da TORAY e Marcelo Bueno, Gerente Regional da TORAY apresentaram “Ultrafiltração e MBR”.

Foram demonstrados pelos especialistas as características das tecnologias, vantagens e limitações em relação a sistemas convencionais e estudos de casos.

Alessandra Piaia explicou, que membrana filtrante é uma barreira física e seletiva de separação. E os 4 principais processos de separação:

img1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tipos de Membranas – Construções

espiral

Tipos de Membranas – Materiais

tipos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Tecnologia de Ultrafiltração remove 100% dos vírus, bactérias, coliformes, proteínas, silicatos, matéria particulada e óleos e graxas.

A Ultrafiltração reduz parcialmente 20 – 95% o TOC (Carbono Orgãnico Total), componentes causadores de cor.

Sais e dureza não são removidos pela ultrafiltração.

Aplicações da Tecnologia de Ultrafiltração:

  • Indústria de Laticínios (soro do leite e queijo)
  • Indústria de Alimentos (separação de amido e proteínas)
  • Indústria Metal/Mecânica (emulsões de óleo)
  • Indústria de Bebidas (sucos, cerveja, vinho)
  • Indústria Química/Farmacêutica (dispersão de polímeros)
  • Tratamento de Água (potável, processo ind., mar, efluentes)

“Em 1993 nos Estados Unidos, ocorreu o que ficou conhecido como desastre de Milwakee, onde mais de 400.000 pessoas adoeceram por conta da água de abastecimento público contaminada por cryptosporidium, exigindo maior rigor por parte das autoridades”, disse Alessandra.

As vantagens da Ultrafiltração x Convencional:

  • Alta qualidade do permeado (turbidez <0,2 NTU e SDI <3), não variável em função da água de alimentação
  • Segurança, barreira física contra virus e bactérias
  • Espaço reduzido de implantação <40%
  • Reduzido consumo de químicos “pin floc”
  • Não há geração de lodo
  • Operação automática (filtração/contralavagem/limpeza química)
  • Fácil ampliação de capacidade, simples obra civil

Fatores de Impacto em Sistema de UF:

  • Pressão Transmembrana (TMP)
  • Temperatura
  • Viscosidade
  • Água de alimentação (potencial de fouling / incrustação)
  • Fator de concentração
  • Pré tratamento
  • Operação

Marcelo Bueno, Gerente Regional da Toray salientou que a condição para alta durabilidade física e química com alta permeabilidade, o método de fabricação e o material são importantes.

– Material da membrana: PVDF (poli fluoreto de vinilideno) tem boa resistência química e boas propriedades físicas.

– Método de Fabricação: Spinning e método de separação de fase (TIPS)

Separação de Fase por InduçãoTérmica (Thermally Induced Phase Separation) é a tecnologia chave para durabilidade física com alta permeabilidade.

A Toray realiza o suporte de aplicação e engenharia. Durante a definição do processo:

  • Análise de viabilidade da aplicação das membranas
  • Sugestão de adequação ou pré tratamento para o processo
  • Dimensionamento
  • Plantas Piloto

marcelo

Alessandra Piaia, Engenheira de Aplicações da TORAY
Marcelo Bueno, Gerente Regional da TORAY

A Toray apresentou a linha completa de membranas filtrantes durante a FENASAN 2016. São 3 tecnologias diferentes para tratamento de águas e efluentes: MBR (bioreator com membranas), Osmose Reversa (OR) e Ultrafiltração (UF).

As membranas para sistema MBR (biorreator com membranas) são utilizadas para tratamento de efluentes e reúso. Essa é a linha MEMBRAY, que compreende membranas de ultrafiltração do tipo placa plana, feitas de PVDF com poros de 0,08 mícrons, que operam submersas, nas versões TMR140 e TMR090, esta última indicada para sistemas compactos em contêineres e aplicações com limitações de altura.modelos_membranas

Outra linha promovida durante a feira é a ROMEMBRA, as membranas de osmose reversa (OR) da Toray largamente utilizadas em projetos de dessalinização para água oriunda do mar, salobra ou efluentes, podendo gerar água potável ou de alta qualidade para processos industriais a partir de qualquer das fontes citadas.

Completando o portfólio, a linha TORAYFIL de membranas de Ultrafiltração tipo fibra oca, feitas de PVDF com poros de 0,01 mícrons, e módulos pressurizados. Na versão HFU-2020 com 72m² de área filtrante proporciona um sistema compacto e adequado para diversos tipos de aplicações como produção de água potável, industrial, tratamento de efluentes e reúso.

O seminário também contou com os palestrantes Juan Miguel, Gerente Técnico de Vendas da Energy Recovery inc. (ERI) que discorreu sobre os recuperadores de energia para sistemas de Osmose Reversa e Raul Cirerol, Engenheiro de Suporte Técnico na Toray Membrane USA.

De acordo com Cirerol, a membrana de osmose reversa foi concebida para remover sólidos dissolvidos, não sólidos suspensos. O fluxo de água permeada através da membrana é diretamente proporcional a pressão do líquido. “O desempenho e funcionamento adequado de um sistema de Osmose Reversa é ligada à manutenção e monitorização, a OR é apenas uma parte do sistema de tratamento de água. O pré-tratamento é fundamental para o seu bom funcionamento”.

Foi realizada após as apresentações técnicas, uma visita ao Edifício Odebrecht São Paulo, que possui sistema de reúso de efluentes sanitários utilizando membranas de Ultrafiltração Toray.

PLANTA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Edifício Odebrecht São Paulo, recebeu a certificação LEED Gold na categoria Core & Shell, concedida pelo Green Building Council Brasil e destinada a edificações comerciais. A certificação engloba toda a área comum, sistema de ar condicionado, estrutura principal e fachadas do edifício, entre outros sistemas.

Para conquistar o certificado, a edificação deve trazer uma série de benefícios econômicos, sociais e ambientais para seus habitantes e o entorno, como a modernização do edifício, satisfação e bem-estar dos seus usuários, uso natural dos recursos naturais e de tecnologias de baixo impacto ambiental, entre outros.

Construído pela Odebrecht Realizações Imobiliárias e administrado pela Odebrecht Properties, o Edifício Odebrecht São Paulo possui a maior parede verde do Brasil, uma Estação de Tratamento de Água própria que atende ao consumo de 2 milhões de litros de água de reúso mensais, lâmpadas LED e um sistema de iluminação que atua em conjunto com a incidência de luz natural, diminuindo o consumo e aumentando a vida útil das lâmpadas.

Gheorge Patrick Iwaki
gheorge@webapp233877.ip-104-237-133-206.cloudezapp.io
Responsável Técnico
www.tratamentodeagua.com.br

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *