NOTÍCIAS

Novo Rio Pinheiros: Sabesp entrega cinco URs – Unidades de Recuperação do rio e afluentes

As cinco unidades fazem a recuperação da água diretamente do córrego, impedindo que a poluição chegue ao Pinheiros

O Governo de São Paulo e a Sabesp inauguraram no dia 19 de dezembro a Unidade de Recuperação (UR) Jaguaré, uma das cinco estações de tratamento de esgoto do Novo Rio Pinheiros. As cinco unidades fazem a recuperação da água diretamente do córrego, impedindo que a poluição chegue ao Pinheiros
Créditos Foto: Denise Akemi F. Takahashi Trugillo

 

O Governo de São Paulo e a Sabesp inauguraram no dia 19 de dezembro a Unidade de Recuperação (UR) Jaguaré, uma das cinco estações de tratamento de esgoto do Novo Rio Pinheiros.

As URs vão recuperar a água dos córregos Jaguaré, Pirajussara, Cachoeira, Antonico e Água Espraiada.

Esses equipamentos são uma solução inovadora adotada pela Sabesp para recuperar afluentes do Pinheiros que passam por áreas informais e outros locais onde não há viabilidade de implantação da rede convencional de coleta de esgoto devido à ocupação de imóveis.

“As URs são equipamentos muito inovadores. São uma solução criativa para áreas onde a ocupação desordenada das margens dos córregos não deixou espaço para que pudéssemos implantar a infraestrutura tradicional de coleta. Elas vão então remover o esgoto do próprio córrego, melhorando sua qualidade e trazendo benefícios para o meio ambiente, para a sociedade, e contribuindo para a despoluição do Pinheiros”, afirmou o diretor-presidente da Sabesp, Benedito Braga.

 

“O Rio Pinheiros era considerado um rio morto e foi preciso toda a dedicação do Governo de São Paulo para tirar esse projeto do papel e devolvê-lo à cidade. Fizemos a concessão das margens e, em breve, teremos a Usina São Paulo requalificada com restaurantes, bares, escritórios e diversas opções de lazer e entretenimento para toda a população”, destacou o governador Rodrigo Garcia, durante evento na UR Jaguaré.

Em março deste ano, as águas do Rio Pinheiros apresentaram, pela primeira vez, níveis satisfatórios em 85% do leito. Dos 13 pontos de monitoramento do rio, 11 atingiram uma DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) abaixo de 30 mg/L, quantidade mínima para que a água não tenha odor, melhore a turbidez e permita a vida aquática. A DBO é uma das principais métricas utilizadas no mundo para medir a limpeza de um rio. Para se ter ideia, em 2019, o Rio Pinheiros obteve uma média de 60 a 75 mg/l.


LEIA TAMBÉM: PROGRAMA NOVO RIO PINHEIROS: 85% DAS ÁGUAS JÁ TÊM MAIS OXIGÊNIO E MENOS POLUIÇÃO


 

Unidades de Recuperação do Jaguaré

As cinco unidades fazem a recuperação da água diretamente do córrego, impedindo que a poluição chegue ao Pinheiros. Cada UR capta a água de um afluente e a devolve em seguida ao curso natural sem odores e com maior capacidade de abrigar vida aquática.

Créditos Foto: Governo de SP

 

No caso do Jaguaré, como esse córrego fica em trecho próximo de onde o Pinheiros deságua no Tietê, o resultado da UR passa a ter impacto positivo inclusive na despoluição do principal rio que corta o Estado de São Paulo. A obra também beneficia com mais qualidade de vida a população de cerca de 100 mil pessoas que vivem no entorno do córrego, além de melhorar as condições da região para toda a sociedade.

As URs fazem parte do programa Novo Rio Pinheiros e juntas vão recuperar 1,5 mil litros por segundo de água dos córregos. O investimento nos cinco equipamentos é de R$ 237 milhões.

Novo Rio Pinheiros

O programa já conectou 650 mil imóveis ao sistema de tratamento de esgoto (22% acima da meta original de 533 mil domicílios). Isso significa que 1,9 milhão de pessoas passaram a contar com serviços de saneamento básico, o equivalente a toda população da cidade de Curitiba. O Novo Rio Pinheiros é um programa do Governo do Estado de São Paulo sob a coordenação da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, que visa a despoluição do rio, integrando-o de volta à cidade e ao dia a dia de seus moradores.

Desde que o desafio foi iniciado, em 2019, a Sabesp enviou para tratamento mais de 58 bilhões de litros de esgoto – correspondente ao volume de 23 mil piscinas olímpicas.

Com isso, o programa chega a 2,8 mil litros de esgoto tratado por segundo – o equivalente ao esgoto de uma cidade como Curitiba.

Texto adaptado por: Denise Akemi F. Takahashi Trugillo
Para: Portal Tratamento de Água

Fonte: Governo SP e Click Guarulhos


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: EM LEILÃO DE LANCE ÚNICO, CORSAN É VENDIDA PARA A AEGEA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: BRASIL TEM CHANCE DE DESPONTAR EM HIDROGÊNIO VERDE EM 1ª LICITAÇÃO DA EUROPA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS:
ALADYR pede ação imediata sobre mudança climática após desastre no Rio Grande do Sul

ALADYR pede ação imediata sobre mudança climática após desastre no Rio Grande do Sul

Diante do impacto das chuvas no Rio Grande do Sul, que afetaram centenas de milhares, a ALADYR pede aos governos e entidades privadas que acelerem a implementação de políticas de adaptação e mitigação do climática. A organização destaca a importância de atualizar a legislação, promover o reúso de água e adotar inovações como o modelo de “cidade esponja” para enfrentar efetivamente esses desafios iminentes

Continuar lendo »