NOTÍCIAS

​Resíduos de minas em Alentejo/Portugal dão origem a produtos eco-inovadores

A ideia do projeto, que junta a Universidade Transmontana, a Universidade do Minho e uma empresa finlandesa, é desenvolver métodos alternativos para reciclar resíduos da exploração de sulfetos metálicos, para aplicação em infraestruturas das indústrias da construção e mineração

 

mineracao

 

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) lidera o projeto MINECO que pretende desenvolver produtos eco-inovadores, com origem em resíduos das minas de São Domingos, que está encerrada, e Neves Corvo, ainda em exploração, ambas situadas no Alentejo/PT.

A ideia é desenvolver métodos alternativos para reciclar resíduos da exploração de sulfetos metálicos, para aplicação em infraestruturas das indústrias da construção e mineração, entre outras.

“A combinação das excelentes propriedades mecânicas dos rejeitos com ligantes sustentáveis criará materiais integrados, tecnicamente competentes e ambientalmente otimizados”, explica Nuno Cristelo, responsável da UTAD pelo projeto.

De acordo com o pesquisador, quando a mina é encerrada, “grandes quantidades de materiais provenientes de atividades de mineração (escombro e rejeitado) são deixados, o que exige tratamentos sustentáveis que, idealmente, deveriam incluir taxas de reciclagem muito elevadas”.

Um exemplo são os resíduos de mineração gerados a partir da produção de metais básicos como cobre, chumbo e zinco, que representam “o maior volume de resíduos extrativos na Europa (cerca de 600 megatoneladas/ano) e que representam um sério potencial de drenagem ácida”, assinala Nuno Cristelo.


LEIA TAMBÉM: STARTUP BRITÂNICA TRANSFORMA PÓ DE CAFÉ USADO EM LENHA.


Novas e avançadas tecnologias para reciclagem

No âmbito do projeto MINECO (New Eco-innovative Materials for Mining Infra) serão abordadas “novas e avançadas tecnologias para reciclagem específica de rejeitos de exploração de minas de sulfetos”, incluindo a presença de “um forte componente de valorização de subprodutos da mineração”, já que os resíduos serão reaplicados em necessidades específicas desta indústria, concretamente em camadas de enchimento de galerias mineiras desativadas, entre outras situações.

O conceito de design ecológico estará também presente, devido à “natureza alternativa” das matérias-primas utilizadas e à “maior durabilidade destes ligantes alcalinos, relativamente às soluções tradicionais, à base de cimento Portland”, conclui o responsável do projeto.

Para além da UTAD, o projeto MINECO tem como parceiros a Universidade do Minho e a empresa Tapojärvi Oy, da Finlândia, e pretende contribuir para um desenvolvimento industrial sustentável, objetivo alinhado com a sustentabilidade do setor europeu de matérias-primas e, em particular, com a economia circular relacionada com as infraestruturas de mineração.

Os impactos, ao nível da sustentabilidade, relacionados com as vertentes socioambientais, econômicas e técnicas serão avaliados e controlados ao longo deste projeto europeu financiado pelo Horizonte 2020, que tem a duração de três anos e um financiamento total de cerca de 800 mil euros.

Fonte: Renascença.