NOTÍCIAS

Promotora diz que estudo da UEPB apontam potabilidade da água de Boqueirão

Na última semana, pesquisa realizada pelo Instituto Butantan foi motivo de divergência entre a Prefeitura Municipal de Campina Grande(PMCG) e governo do Estado, pois apontou que a água do Açude de Boqueirão está com um “coquetel de toxinas”.

A promotora de Justiça da saúde de Campina Grande, Adriana Amorim, falou que representantes da Secretaria de Saúde do município, de hospitais e técnicos da Cagepa estiveram presentes em reunião.

Durante a reunião, que foi realizada na Promotoria da Saúde, foram apresentados os motivos que levaram a Secretária fazer estudos sobre a qualidade da água do Açude Epitácio Pessoa. Por outro lado, a Cagepa expôs as técnicas utilizadas para o tratamento da água.

– Entendemos como respeitoso o relatório e o estudo da Secretaria, diante da situação que Campina foi exposta, a questão da necessidade de se investigar o porquê de malformações em bebês. A Cagepa, por sua vez, especificou que a água está sendo tratada e dentro da normalidade. Que temos de parâmetros, que temos de legal para avaliar e para ratificar essa situação da potabilidade da água é a portaria do Ministério da Saúde nº 2.914/2001, que estabelece os limites em que podem ser aceitos como recomendáveis para que a população tenha acesso a essa água e possa ingeri-la. Se dentro desses parâmetros encontramos nossa água depois do tratamento da Cagepa, então podemos assegurar, conforme os técnicos expuseram, que é viável continuar fazendo uso- explicou.

Foto: Reprodução/TVPB

foto: reprodução

Entretanto, segundo Adriana, se os parâmetros não estiveram conforme a portaria é necessário tomar outras medidas. Ela explicou que o relatório da Secretaria de Saúde de Campina recomendou monitoramento da água do manancial, mas não interrupção do consumo.

– Nós estamos dentro do estudo da Universidade, de pesquisadoras, de pessoas que fazem estudo há bastante tempo e tem conhecimento no assunto. A Universidade Estadual da Paraíba, através do técnicos e pesquisadoras, garantem que esses parâmetros estão dentro da normalidade – disse.

A promotora frisa ser bastante compreensível que a população esteja preocupada com as notícias sobre a pesquisa porque está ligada à saúde, mas, no momento, o sistema adotado pela Cagepa garante que água está dentro dos padrões de potabilidade.

– O que nós queremos como Ministério Público que tantos os estudos que a Secretaria colocou, como os estudos da própria Cagepa continuem. Por enquanto, conforme a portaria que nós citamos e o respaldo da UEPB, a água tratada existe a garantia dessa qualidade e potabilidade. Más, estamos sempre continuando a acompanhar e a monitorar estes dados – frisou.

Por fim, a promotora disse que no momento é necessário todos os órgãos públicos unirem os esforços para garantir que a água seja disponibilizada com qualidade.

As informações foram veiculadas na Rádio Campina FM.

FONTE: Da Redação