NOTÍCIAS

Gestão dos Recursos Hídricos: As Lições que Devemos Aprender com Austrália, Israel e Singapura

noticia-137-gestao-dos-recursos-hidricos-as-licoes-que-devemos-aprender-com-australia-israel-e-singapura-2

O Brasil sempre foi considerado um país abundante em recursos hídricos. Porém, a crise nos mostrou que sem uma boa gestão e economia corremos o risco de passar por situações graves de escassez.

Servindo de exemplo sobre as lições que devemos aprender, alguns países tem muito o que nos ensinar.

Entre os países que buscam melhorar cada vez mais a gestão dos recursos hídricos, temos Austrália, Israel e Singapura. Das técnicas utilizadas por esses países, podemos citar grandes investimentos em infraestrutura, o reúso da água e a dessalinização da água do mar.

As lições que devemos aprender:

Austrália

O país sofre com as grandes secas, lá simplesmente não chove. Sendo considerado um dos países mais secos, a fonte de água utilizada pela Austrália é a Bacia Murray-Darling, com 5.890 km de extensão.

Para solucionar os problemas hídricos, foram investidos cerca de R$ 6 bilhões em infraestrutura, o que ajudou a combater vazamentos e economizar água. No Brasil, um dos grandes fatores enfrentados é a água tratada que se perde devido a vazamentos em tubulações antigas.

Além disso, foram realizadas obras de combate ao desperdício, fazendo com que as águas residuais das casas sigam para reservatórios próprios para receber tratamento. Após tratada, a chamada água de reúso retorna para as moradias que estão adaptadas com torneiras especiais para essa finalidade. Essa água é utilizada na limpeza das casas, lavagem de roupas ou qualquer outra atividade que seja possível evitar o uso de água potável.

Outro fator importante foi a construção de usinas de dessalinização, usadas para transformar a água do mar em água potável.

Israel

Em uma região com pouca água, o país luta contra a seca desde o seu nascimento. Por conta desse fator, em Israel a solução teve que ser mais ampla e foi preciso desenvolver técnicas para extração de água até de geadas, sendo revertida para a agricultura.

Ainda para a agricultura, foram desenvolvidas técnicas de irrigação por gotejamento, no qual a água é direcionada diretamente para a raíz das plantas. Além disso, o saneamento é um fator importantíssimo, com índices de tratamento que chegam a 90% de esgoto tratado, que posteriormente é reutilizado. Tratamento e reúso são vitais para Israel.

O país também conta com cerca de 5 plantas de dessalinização da água do Mar Mediterrâneo, além de um forte programa de educação ambiental para crianças nas escolas e controle rígido de perdas, o que evita o desperdício em todo o país.

Israel enfrenta 9 meses de seca por ano, registrando menos chuvas que o semiárido brasileiro. Mesmo assim, a população não sofre com a falta d’água, um exemplo na gestão de recursos hídricos.

Singapura

País conhecido como um dos polos mais eficientes em reaproveitamento de água, em Singapura 100% da população tem água potável, além de 100% de esgoto tratado e reutilizado.

Para alcançar esses índices, Singapura conta com uma imponente infraestrutura para coleta da água da chuva, usinas de dessalinização, combate a vazamentos e campanhas de conscientização. O país também possui um plano que importa água da Malásia por meio de dutos, uma logística complexa e cara.

Dentre os programas de conscientização, existe o incentivo de compra de produtos que diminuem o uso de água, chamadas etiquetas de eficiência hídrica.

Confira mais informações no site da Nova Opersan!

nova-opersan