NOTÍCIAS

Nikkei: Sumitomo vai mergulhar na infraestrutura de água do Brasil

A trading japonesa vê um crescimento do mercado com o Brasil buscando investimento privado

 

sumitomo-odebrecht-0417

 

Tóquio – A Sumitomo Corp. vai entrar no negócio de gestão de água e efluentes no Brasil, aonde o mercado para tais serviços está em expansão em meio ao impulso dado à privatização com a liderança do governo.

Um consórcio incluindo a Sumitomo e a empresa de investimentos canadense Brookfield Asset Management vai investir na Odebrecht, conglomerado brasileiro de engenharia, que possui instalações de tratamento de água e efluentes no país. Da participação projetada de 70% do consórcio na Odebrecht, a Sumitomo entrará com 14%, ou cerca de 250 milhões de dólares.

A trading japonesa vai adquirir da Odebrecht 21 instalações de água e esgoto e 4 plantas de tratamento de água industrial ainda em abril. Essas operações atendem cerca de 17 milhões de pessoas, tornando o investimento da Sumitono o maior desse tipo já feito no Brasil por uma empresa japonesa. A Sumitomo enviará 10 membros da sua equipe para oferecer assistência à Odebrecht em gestão e operações.

A Sumitomo também vai oferecer expertise em gestão dos serviços de água através de parcerias com municípios e empresas do setor privado japoneses. É esperado que a empresa forneça equipamentos tais como medidores que podem descobrir vazamentos em tubos que necessitam ser reparados e técnicas estado da arte para tratamento de lodo.

Sexto maior mercado do mundo

O mercado de água e esgoto no Brasil está estimado em cerca de 20 bilhões de dólares em 2017, tornando-o o sexto maior do mundo segundo a firma de pesquisas britânica Global Water Intelligence. O mercado está projetado para crescer até 29 bilhões de dólares em 2030.

Segundo dados de 2015, 83% da população brasileira teve acesso a água potável e somente a metade teve serviços de esgoto. O governo brasileiro quer usar o investimento privado para aumentar as duas taxas para acima de 90% até 2033. Em 2007, o governo estabeleceu uma lei nacional de saneamento que previne o uso ilegal dos sistemas de água e torna mais fácil às empresas privadas entrarem no setor.

A Sumitomo posiciona as operações de água e esgoto como área de crescimento que pode resistir às flutuações econômicas e oferecer receitas estáveis, ao contrário dos seus negócios em recursos naturais.

Após entrar nos negócios de água na Turquia em 1995, a Sumitomo expandiu as operações para países como México, China e Reino Unido.

Foto: Sumitomo Corp.

Fonte: Nikkei Asian Review