NOTÍCIAS

IMA coleta água do mar para analisar presença de óleo nas praias de Alagoas

Uma equipe do Instituto do Meio Ambiente (IMA) coletou amostras nas praias de Japaratinga, Maragogi, Maceió e Piaçabuçu entre os dias 29 e 30 de outubro

ima-agua-mar-oleo-alagoas

Equipe do IMA coleta amostra de água na praia de Pajuçara | Divulgação/IMA

As amostras deverão apontar condições das áreas mais afetadas por óleo na costa alagoana. As amostras serão enviadas para análise em um laboratório particular, para avaliar parâmetros inorgânicos, como cobre e ferro dissolvido, hidrocarbonetos totais de petróleo e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos. A perspectiva é que o resultado fique pronto entre 10 e 15 dias.

As coletas foram iniciadas em Maragogi e Japaratinga na tarde da terça-feira (29) e, na quarta (30), foi dada sequência com coletas em Piaçabuçu e Maceió. A capital e os outros três municípios foram escolhidos para a análise por causa da grande procura por parte dos usuários. Entretanto, segundo informações da Gerência de Laboratório, não está descartada a possibilidade de novas coletas e análises, conforme a necessidade.


LEIA TAMBÉM: TECNOLOGIA PODE ELIMINAR ÓLEO VAZADO NO LITORAL DO NORDESTE.


Novas manchas

O IMA explicou que as coletas não haviam sido feitas anteriormente por causa da imprevisibilidade da chegada de novas manchas de óleo. Com a diminuição das áreas oleadas na costa alagoana as coletas começaram a ser feitas. A equipe acredita que os resultados, agora, serão mais precisos.

Os resultados serão somados ao relatório de balneabilidade das praias e, dessa forma, deverão conferir maior segurança. Até então essas praias não eram indicadas aos banhistas para que, da mesma forma, se evitasse o contato com as manchas. Agora que começam a ficar limpas precisam ser avaliadas se ainda oferecem algum risco aos usuários.

Ainda de acordo com o IMA, até o presente momento mais de 1800 toneladas de material foram recolhidos das praias alagoanas, dentre eles as manchas de óleo, grande quantidade de areia contaminada e sargaço contaminado. As manchas de óleo começaram a aparecer no litoral do Nordeste no início do mês de setembro.

Fonte: TNH1.