NOTÍCIAS

Fiec estuda alternativas para o reúso da água

Memorando de entendimento é assinado pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e a empresa francesa Suez para projeto de reúso da água de esgoto

ceara

Na última terça-feira (23), o governador Camilo Santana anunciou a assinatura de memorando de entendimento pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e a empresa francesa Suez para o projeto de reúso da água de esgoto. Objetivando também ampliar as possibilidades de recursos hídricos do Estado, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) vem produzindo pesquisas para utilizar estações de tratamento de esgoto como fonte de água reutilizável para a indústria.

Evitando o colapso hídrico

De acordo com o presidente do Conselho de Infraestrutura da Fiec, Heitor Studart, é preciso que o Estado descubra e tome um novo caminho para não sofrer um colapso hídrico. “É fundamental para o Ceará diversificar sua matriz hídrica, quer seja por usinas de dessalinização, reúso da água pela indústria, novas tecnologias de exploração dos aquíferos, captação de águas de lagoas. Isso é fundamental pois estamos atrasados nesse sentido”, disse. Conforme o gestor, o presidente da Fiec, Beto Studart, solicitou ao Conselho a viabilização de pesquisa para identificar soluções viáveis ao setor. “Foi determinado ao núcleo produzir estudos e soluções. Estamos com uma comissão externa de estudo da água. Há duas novas vertentes de reúso da água, aproveitando as estações de esgoto da Cagece. Avaliamos as bacias do Siqueira e do Município de Maracanaú”, indicou.

Para justificar a ideia, Heitor Studart cita a vazão que poderia ser obtida nas duas bacias e o custo do projeto, sem, no entanto, informar valores. “Cremos que podemos chegar a 0,5; 0,8; ou até 1 metro cúbico por segundo, com custo inferior ao que o Estado negociou. Estamos nesses estudos para apresentar uma proposta, para buscar fazer uma parceria público-privada, já que os investimentos são altos e o Estado não tem capacidade financeira. O ideal seria fazer uma concessão ou outorga”, sugeriu. A explicação para a redução do investimento na opção de utilização das estações de tratamento de esgoto seria a distância delas em relação à adutora oceânica, de estrutura mais complexa.

Parceria

De concreto, o Estado já possui a parceria com a Suez, para um projeto que prevê 2 metros cúbicos de vazão, capacidade suficiente para duas vezes a demanda atual do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp).

A parceria foi comemorada pela Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Aecipp), que enviou nota à reportagem: “Sobre o anúncio do governador Camilo Santana acerca de um projeto de reúso de água de esgoto para atender às necessidades do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), a Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Aecipp) está empenhada em conhecer os detalhes do projeto, que pode contribuir para o desenvolvimento econômico sustentável do Cipp.

Hoje, as empresas que compõem o complexo empregam, direta e indiretamente, mais de 50 mil pessoas. A Aecipp tem plena convicção que o Governo do Estado do Ceará está desenvolvendo e avaliando várias alternativas técnicas para garantir todas as condições para a manutenção e ampliação desse cenário. É importante ressaltar que grande parte das empresas da região tem em suas premissas a preocupação com o crescimento sustentável e já executam projetos de reúso consciente da água”, diz o texto.

Fonte: Diário do Nordeste.