Notícias

ETE Limoeiro entra em funcionamento em Timóteo/MG

Publicado em 27/11/2019 às 10:42:36

Estação vai tratar esgoto in natura colhido em Timóteo e em Coronel Fabriciano, gerado por uma população estimada em 165 mil pessoas

copasa

Está agendado para essa quarta-feira (27), a inauguração da 1ª etapa do Sistema Integrado de Esgotamento Sanitário de Timóteo e Coronel Fabriciano e da Estação de Tratamento de Esgoto – ETE Limoeiro.

A inauguração será realizada nesta quarta-feira, 27 de novembro, às 10h30, na ETE Limoeiro, com a presença do diretor-presidente da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Carlos Eduardo Tavares de Castro, do diretor da Operação, Guilherme Frasson Neto e do superintendente da Unidade de Negócios Leste, Albino Júnior Batista Campos.

“Com a ETE em operação, os efluentes coletados em Timóteo e Coronel Fabriciano passarão a ser tratados pela Copasa, contribuindo para a transformação da qualidade de vida de toda a população, além da melhoria das condições ambientais e crescimento econômico de toda a região”, informa a companhia.


LEIA TAMBÉM: COPASA INVESTE R$1,7 MILHÕES EM MELHORIAS NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DO VALE DO AÇO/MG.


165 mil pessoas serão beneficiadas

A ETE Limoeiro foi construída na entrada do bairro Limoeiro, na área adquirida da Caene. No começo do ano, a companhia informou que o investimento previsto era de R$ 103 milhões. A população beneficiada, nos dois municípios, chega a 165 mil pessoas. A expectativa é que os córregos, como o Timóteo, Timotinho e ribeirão Caladão deixem de receber o esgoto in natura, a partir do funcionamento da ETE. Todos esses córregos são afluentes do rio Piracicaba, que por sua vez deságua no rio Doce,em Ipatinga.

Entre outros equipamentos estão, a construção de 11.500 metros de redes coletoras de esgoto implantadas em vias públicas para coletar os esgotos das residências, comércios e indústrias); 31.160 metros de interceptores (tubulações de grande porte implantadas ao longo dos córregos e rios para receber os esgotos das redes coletoras); 10 elevatórias de esgoto bruto (unidades de bombeamento do fluxo de esgoto para um nível mais elevado); 7.200 metros de linhas de recalque (responsáveis por transportarem os esgotos até a ETE); uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE – Sistema Integrado Timóteo e Coronel Fabriciano); um Laboratório para realização das análises de esgoto, além de aquisição de materiais, terrenos e equipamentos.

Fonte: Diário do Aço.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *