Notícias

Estação de tratamento de água do Lago Norte/DF completa dois anos

Publicado em 22/10/2019 às 12:14:51

A Estação de Tratamento de Água do Lago Norte está completando dois anos de funcionamento neste mês

estacao-tratamento-agua-largo-norte

ETA Lago Norte – A captação da água é feita por meio de balsas

A ETA, que fica na ML 4 no Setor de Mansões do Lago Norte, tem como diferencial a captação de água por meio de balsas flutuantes e a utilização do sistema de tratamento por membranas de ultrafiltração, que é uma das mais modernas tecnologias usadas para tratar água.

O sistema de tratamento de água de ultrafiltração por membranas tornou-se referência no Brasil e apresenta várias vantagens, como o elevado nível de remoção de contaminantes por um mecanismo simples de exclusão por tamanho. A membrana apresenta um tamanho de corte de 0,030 micros (para se ter uma ideia do tamanho, divida 1 milímetro em 30 mil pedaços), o que a torna capaz de reter microorganismos (vírus, bactérias, protozoários como Giardia e Cryptosporidium), partículas, sólidos em suspensão, entre outros, gerando uma água tratada de excelente qualidade.

“Esse sistema dá uma segurança muito grande para a população, independente da época do ano. Nos métodos convencionais, há variação de resultados a depender do período e é preciso usar mais produto químico”, explica a engenheira química Cláudia Simões, coordenadora de operação da Caesb responsável pelo sistema.


LEIA TAMBÉM: NOVA TECNOLOGIA VAI AMPLIAR PRODUÇÃO DE ÁGUA EM RS


ETA Lago Norte se tornou referência 

O uso de produtos químicos se restringe ao processo de limpeza das membranas e aos itens obrigatórios para garantir a potabilidade da água, segundo a legislação. A ETA Gama também utiliza o sistema e a futura ETA Paranoá Sul, que deverá ser licitada em novembro de 2019, também adotará essa tecnologia.

A ETA Lago Norte tem a capacidade de captar, tratar e distribuir 700 litros de água por segundo e abastece o Lago Norte, o Paranoá, o Itapoã, Varjão, o Taquari e parte de Sobradinho e da Asa Norte.

Há um ano a Caesb adquiriu uma plataforma flutuante, instalada no Lago Paranoá, próximo à Ermida Dom Bosco, com o objetivo de realizar estudos sistemáticos da qualidade do Lago. Este equipamento é capaz de registrar parâmetros básicos como densidade de algas, temperatura, pH, condutividade, turbidez e oxigênio em diferentes profundidades, em tempo real, para aprofundar conhecimento sobre a dinâmica do manancial.

Fonte: Caesb.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *