NOTÍCIAS

Com escassez de água no PR, empresas buscam alternativas para tocar os negócios

Com a escassez de água no Paraná, devido à estiagem prolongada, algumas empresas que necessitam do líquido para sua produção, principalmente de alimentos, estão procurando alternativas para evitar desperdício e não prejudicar o abastecimento junto aos lençóis freáticos

 

escassez-agua

 

Uma dessas empresas é a Alegra, indústria de alimentos de origem suína. Com a crise no abastecimento, a água utilizada é captada e tratada em uma estação própria.

O Supervisor da Estação de Tratamento de Águas e Efluentes da Alegra, Rogério Rodrigues Penaroti, explica que gráficos são usados para monitorar em tempo real o volume de consumo na fábrica.

“Nós temos medidores que monitoram o fluxo hídrico 24h por dia, com esses dados conseguimos fazer levantamentos de onde precisamos melhorar, quais setores têm um gasto maior e facilita também a identificação de falhas, como vazamentos”.


LEIA TAMBÉM: ESTIAGEM ACELERA DISCUSSÃO SOBRE NORMAS DE REÚSO DA ÁGUA NO PARANÁ.


Projetos para gerar mais economia nos processos de reutilização de água

A empresa também apresentou novos projetos para gerar mais economia e também nos processos de reutilização de água no setor.

“Por determinações sanitárias, as águas que atendem os padrões de reutilização não podem ser aplicadas em todos os setores da produção. Por isso, fizemos uma proposta para usarmos na lavagem de caminhões e recepção de suínos, por exemplo, que hoje ainda não é liberada”, explica Penaroti.

Segundo o gestor, a indústria pretende aplicar uma ferramenta pioneira na área. “Criamos um projeto que pretende implementar medidores de fluxo específicos em cada setor da produção. Os aparelhos serão regulados com um valor máximo diário de consumo e emitirão um alerta no painel de controle e via e-mail, permitindo que os gestores de cada área tenham conhecimento do consumo de água em tempo real e também todas as vezes que ultrapassar o limite diário, reforçando a importância da economia na prática”, conta.

Fonte: Paraná Portal.