NOTÍCIAS

Redução drástica da vazão do Rio Uberaba faz Codau/MG acionar o terceiro motor do sistema de transposição do Rio Claro

Entre terça (17) e quarta-feira (18), vazão caiu de 1.700 litros por segundo para 1.000 litros por segundo. Companhia ressaltou orientação à população para economizar água

baixo-nivel-de-agua

 Imagem ilustrativa

Por causa da redução drástica da vazão do Rio Uberaba entre terça (17) e quarta-feira (18), a terceira bomba do sistema de transposição do Rio Claro teve que ser acionada para ajudar a ampliar a captação de água para abastecer a cidade. Segundo a Companhia Operacional de Desenvolvimento, Saneamento e Ações Urbanas (Codau), a redução registrada nos últimos dois dias foi de 1.700 litros por segundo para 1.000 litros por segundo.

Em 2021, o sistema de transposição foi ligado pela primeira vez em junho. Agora, os três conjuntos de motobomba estão ligados, sendo dois elétricos e um movido à diesel.

A autarquia afirmou que a captação extra deverá contribuir com uma média de 100 litros por segundo a mais de água, além dos cerca de 350 a 400 litros por segundo que já estavam sendo bombeados do Rio Claro para o Rio Uberaba.

O presidente da Codau, José Waldir de Sousa Filho, disse que a Codau está preocupada com a situação, por isso, estão investigando com autoridades ambientais o motivo desta queda abrupta de vazão do Rio Uberaba.

“Não é um comportamento comum do rio. A vazão tem uma redução constante, porém lenta ao longo do período de estiagem”, disse.

Ainda de acordo com a Codau, a equipe da Assessoria de Meio Ambiente da autarquia foi mobilizada na manhã de quarta-feira para também registrar, com equipamentos medidores de vazão, o volume do Rio Uberaba. A barragem de nível já conta com instrumentos eletrônicos, mas outro equipamento, chamado ADPC, foi levado para as margens para ampliar o monitoramento.

A direção da Companhia voltou a frisar sobre a necessidade de a população economizar e eliminar por completo qualquer tipo de desperdício para que a seca tenha os menores impactos possíveis sobre o abastecimento da cidade.


LEIA TAMBÉM: RESERVATÓRIOS DE UBERABA/MG SÃO MAPEADOS PARA EVITAR DESABASTECIMENTO DE ÁGUA NA SECA


Falta de água

A Codau informou que o Rio Uberaba, principal manancial de abastecimento público da cidade, logo após o final da temporada de chuva deste ano, começou a apresentar estresse hídrico em virtude da seca histórica que atinge o Sudeste do país.

Desde abril, a autarquia tem comunicado sobre a situação preocupante e alertado para as dificuldades que a estiagem iria provocar no abastecimento público.

A última chuva significativa registrada na cidade foi no dia 31 de maio, com 39,6 mm de precipitação, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Por causa do baixo volume de água no Rio Uberaba, a Codau teve que antecipar, em 73 dias, a transposição de água do Rio Claro. A Companhia afirmou que, até o momento, a vazão tem sido suficiente para atender a cidade. O sistema de transposição é usado desde 2003, para auxiliar na vazão do Rio Uberaba durante o período de seca.

Fechamento de reservatórios

Devido ao aumento do consumo de água neste período de estiagem, a Codau teve que adotar como alternativa o fechamento dos Centros de Reservação (CRs) para recuperação de nível e, assim, garantir o abastecimento à população. As manobras ocorrem desde o início de agosto. Veja aqui o cronograma de fechamento desta semana.

De acordo com a Codau, houve um aumento de 10% no consumo de maio para junho e mais 2% entre junho e julho, resultando em um acumulado de 12%. Isso representa quase 6 milhões de litros de água a mais sendo consumidos na cidade.

O presidente da autarquia afirmou que uma das alternativas adotadas para garantir o abastecimento é fechar determinados CRs durante a madrugada para que amanheçam com melhor capacidade de distribuição de água ao longo do dia.

A suspensão da distribuição é determinada pela velocidade de consumo de cada região, portanto, decidida em tempo real, através de monitoramento na Estação de Tratamento de Água (ETA). A Codau explicou que o cenário dificulta a previsão do período de suspensão, que depende, então, do perfil de consumo daquele determinado momento.

Ao todo, a cidade conta com 11 CRs, que têm uma capacidade de armazenar 78 milhões de litros.

Fonte: G1.

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS: DE BANHEIROS INTELIGENTES A FAZENDAS VERTICAIS, COMO A BIOECONOMIA CIRCULAR PODE COMBATER A CRISE CLIMÁTICA

ÚLTIMAS NOTÍCIAS: CANTAREIRA/SP ENTRA EM NÍVEL DE ALERTA COM VOLUME DE ÁGUA ABAIXO DOS 40%