Notícias

Departamento de Química do CTC/PUC-Rio é o único no País a ter o mais avançado equipamento de HPIC

Laboratório de Caracterização de Águas fechou parceria com a Thermo Fisher Scientific, que cedeu o equipamento Integrion, essencial para testes importantes de potabilidade de água

Utilizada para análise das diversas marcas de água mineral existentes no Brasil, no rigoroso controle de qualidade da água utilizada nos processos de hemodiálise e até mesmo na produção da pasta de dente que você usa todo dia. A Cromatografia de Íons de Alta Pressão (HPIC) é uma técnica analítica da área Química, empregada na obtenção de informações quanto aos teores íons como cloreto, fluoreto, nitratos, nitritos, dentre outros, presentes em determinadas amostras, oriundas de matrizes ambientais, como ar, água e solo, ou em matrizes de interesse da indústria de higiene, farmacêutica, alimentícia e do petróleo. O Laboratório de Caracterização de Águas – LABAGUAS, do Departamento de Química do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), referência na área, conta agora com o mais avançado equipamento de HPIC existente no mercado: o Integrion, lançado em 2016 pela empresa americana Thermo Fisher Scientific.

Com isso, a empresa americana ganha um parceiro de excelência, onde serão desenvolvidas novas pesquisas, metodologias analíticas, aplicações específicas e poderá apresentar seu mais novo equipamento a seus clientes. Para o CTC/PUC-Rio, o ganho é concreto ao poder usufruir de um equipamento de última geração a custo zero, podendo desenvolver aplicações e gerar trabalhos científicos, beneficiando alunos, professores e a indústria em suas pesquisas.

O LABAGUAS — coordenado pelo Prof. José Godoy, que conta com a Profª e pesquisadora Gisele Birman Tonietto e também com o Técnico Químico Diogo Mendes à frente da operação do equipamento — tem parcerias com empresas do porte da Companhia de Recursos Minerais-CPRM, Petrobras, Schlumberger e Halliburton. “Com o Integrion, certamente teremos uma melhor performance e ganharemos em competitividade”, ressalta a professora.

José Marcus Godoy, Diogo Mendes e Gisele Tonietto integram o LABAGUAS da PUC-Rio e participaram do Beta Teste do Integrion, já em uso no laboratório

“Os benefícios em utilizar o Integrion são inúmeros, como robustez e economia no processo de fragmentação e avaliação dos íons. Pretendemos trazer agilidade e melhor sensibilidade nos métodos já implantados e utilizados em nossas pesquisas para a indústria do petróleo e para as análises atmosféricas e de águas em geral. É um verdadeiro salto tecnológico”, explica Gisele Tonietto. A professora reforça ainda o ganho para os alunos da PUC: “Parcerias deste porte trazem a possibilidade de ampliarmos os conhecimentos, atualiza-los e difundi-los entre os alunos de graduação e pós-graduação, mantendo-nos assim na excelência acadêmica que o Departamento de Química tanto preza”.

Laboratório foi o representante da América Sul para realizar beta testes do Integrion

A Profª Gisele Birman Tonietto, do LABÁGUAS, trabalha com Cromatografia de Íons desde 1996. Graças a esta experiência, em 2015, ela e outros dez pesquisadores estrangeiros foram convidados pela Thermo Fisher Scientific para participar de um procedimento científico chamado Beta Test-Neptune, com o objetivo de avaliar e testar antecipadamente o protótipo do Integrion. Esta colaboração resultou na inclusão do laboratório na estratégia de Market Seed da empresa americana, que optou pela doação do equipamento para o CTC/PUC-Rio.

“A escolha da PUC-Rio como parceira na América do Sul para a avaliação de uma nova plataforma dessa tecnologia, que completou 40 anos de sua invenção em 2015, não poderia se dar em melhor momento: de um lado, temos a Thermo Fisher Scientific Inc., líder a serviço da ciência com a missão de capacitar profissionais a tornarem o mundo mais seguro, mais limpo e mais saudável. De outro, uma equipe altamente qualificada que possui sistemas de diversas gerações e que se beneficiará desta forma de respostas mais exatas e confiáveis de seus sistemas analíticos”, ressalta Marc Yves Chalom, Gerente de Aplicações na área de cromotografia e espectometria de massa da Thermo Fisher Scientific.

 

Fonte: Segs.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *