Notícias

DAE/MG conclui manutenção de processo fundamental do tratamento de água

Publicado em 17/03/2021 às 11:13:54

O Departamento de Água e Esgotos de João Monlevade (DAE) concluiu com sucesso a limpeza dos floculadores e decantadores da Estação de Tratamento de Água (ETA).

tratamento-esgoto

A ação preventiva foi realizada na manhã do domingo (14).

A manutenção dos  floculadores e decantadores é importante para não prejudicar o desempenho da primeira etapa do tratamento da água e sobrecarregar o funcionamento dos demais processos, como explica o diretor do DAE, Geraldo Amaral.

“As impurezas que não são removidas na primeira etapa acabam se acumulando em outras fases do processo de tratamento da água”, falou.


LEIA TAMBÉM: Pesquisa desenvolve filtro com uso do carvão de bambu para levar água potável a comunidades isoladas


Limpeza

Para entender um pouco mais sobre a importância da limpeza, Geraldo Amaral pontua que a floculação e coagulação são as primeiras etapas do tratamento de água. Essa fase é conhecida como clarificação e é onde a água, após captada apresenta aspecto barrento proveniente da presença de partículas sólidas muito pequenas, que não se sedimentam, dificultando sua remoção. Para remover os fragmentos que não afundam, é realizado o processo de coagulação, que consiste em adicionar produtos químicos, sob uma forte agitação, fazendo com que essas pequenas impurezas se agrupem.

Na etapa seguinte, a chamada floculação, a agitação é reduzida gradativamente com a finalidade de aglutinar mais partículas que se encontram em dispersão. “Nos floculadores a água passa por um percurso, formando flocos maiores e pesados. Quando as partículas se aglutinam, elas passam para a próxima fase do tratamento, que é a decantação. No processo de decantação os flocos mais pesados que se formaram nos floculadores, se decantam, isto é, afundam e são depositados no fundo dos decantadores. Daí a necessidade de limpezas periódicas. Posteriormente, a água da superfície segue para filtragem”, explica Geraldo Amaral.

Como a água bruta captada no Rio Santa Bárbara contém resíduos orgânicos, partículas em suspensão e microorganismos, todos os processos realizados na ETA são primordiais para que esses resíduos sejam eliminados e se tenha água potável e de qualidade no abastecimento de casas e comércios de João Monlevade.

Fonte: O popular.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *