NOTÍCIAS

Atenuação natural de produtos farmacêuticos

Para investigar a atenuação natural de produtos farmacêuticos selecionados foram realizados experimentos de infiltração

 

produtos-farmaceuticos-0617

 

O consumo crescente de produtos farmacêuticos, juntamente com a sua remoção incompleta nas estações de tratamento de efluentes, implica a ocorrência desses compostos em fontes naturais de água.

Para investigar a atenuação natural de produtos farmacêuticos selecionados durante a infiltração na zona vadosa, experimentos em colunas não saturadas, preenchidas com um solo areno-argiloso, foram realizados com duas concentrações de entrada (100 e 1000 μg/l) de uma mistura de produtos farmacêuticos. Os cinco compostos analisados foram cafeína, acetaminofeno, sulfametoxazol, naproxeno e carbamazepina.

A cafeína e o acetaminofeno nunca foram detectados na saída da coluna, indicando uma baixa preocupação ambiental. Por outro lado, a carbamazepina é o mais persistente entre os contaminantes selecionados. A atenuação dos produtos farmacêuticos detectados pode ser reproduzida por uma combinação de abordagens de retardo e remoção.

Foi detectada uma dependência das taxas de remoção com as concentrações de entrada para sulfametoxazol e naproxeno atribuída principalmente à diminuição do metabolismo dos microorganismos quando se aplica uma maior concentração na entrada. Foram detectados dois produtos de transformação (N4-acetilsulfametoxazol e epoxicarbamazepina) derivados da transformação de sulfametoxazol e carbamazepina, respectivamente, durante o experimento com a maior concentração de entrada.

A pesquisa foi realizada pela Dra. Irene de Bustamante, Dra. Virtudes Martínez e Dra. Raffaella Meffe, do IMDEA Water Institute, em colaboração com o Dr. Claus Kohfahl do Instituto Geológico y Minero de España. Os resultados da pesquisa foram publicados em junho de 2017 na revista científica Chemosphere.

Fonte: Imdea, adaptado por Portal Tratamento de Água – www.tratamentodeagua.com.br