BIBLIOTECA

Gestão de recursos hídricos em reservatórios atendidos pelo projeto de integração do rio São Francisco

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a gestão e o uso de recursos hídricos do reservatório Açude Barra do Juá, localizado na área rural do município de Floresta (PE), na bacia do rio Pajeú, a 466 km da capital de Pernambuco cuja capacidade de acumulação é de aproximadamente 71 milhões de m³ de água. O principal objetivo inicial seria a irrigação na região. Portanto, este estudo refere-se a uma análise da realidade local da gestão da água e do uso do reservatório acima mencionado, pelas comunidades rurais. Embora seja um reservatório de extrema importância para vários municípios no Sertão de Pernambuco, tem estado em situação precária, isto é, desde o colapso causado pela escassez de água, mas também pela depreciação e dilapidação por falta de manutenção por parte de um curto período de tempo. No entanto, desde o início de 2017, a manutenção e revitalização do reservatório foram realizadas através do Projeto de Integração do São Francisco – PISF. A informação obtida a partir da revisão da literatura, pesquisa de dados secundários e visitas ao reservatório, comunidades e instituições que realizam trabalhos de extensão rural na região. Revisões de literatura e análises de dados secundários fundamentam o trabalho com informações científicas, enquanto as visitas de campo proporcionaram uma visão prática na aplicação e na aplicação de questionários.

Introdução

A gestão de recursos hídricos (GRH) é um tema de extrema importância em âmbito global. Diante disso, não é diferente no semiárido brasileiro (BORDALO, 2017). Cada vez mais, urge a necessidade de melhor utilização da água, de maneira que seja feita uma gestão adequada dos instrumentos e meios disponíveis para preservação ambiental e, consequentemente, dos recursos hídricos. Mesmo em ambientes com escassez hídrica severa, como no Nordeste, é possível ter uma melhor qualidade de vida, desde que se apliquem as devidas técnicas de convivência com o semiárido (SANTANA, 2015).

Logo, este trabalho se propõe a fazer uma análise da gestão do Açude Barra do Juá, localizado no município de Floresta (PE), em umas das principais bacias hidrográficas do estado de Pernambuco.

O semiárido é uma área geográfica que possui características climáticas próprias. Seu regime hidrológico se caracteriza pelo fato de que as chuvas se concentram em alguns meses seguidos do ano. No restante do ano, percebe-se uma escassez severa de chuvas, o que potencializa sobremodo a evapotranspiração (MONTENEGRO; MONTENEGRO, 2012; MIN, 2005). Outra característica marcante está relacionada aos solos, de baixa capacidade de retenção de água e, em significativas partes, pobres e salinizados, em virtude da origem das rochas cristalinas que os formam. Isto implica dizer que o armazenamento de água superficial da região fica comprometido (CIRILO, 2008; MMA, 2012).

De acordo com Pádua (2013), para alcançar uma boa convivência com o semiárido se faz necessária a utilização de boas práticas de armazenamento de água, sobretudo nos períodos chuvosos, a fim de reduzir os efeitos críticos da escassez.

A praxe cotidiana popular atribui ao déficit hídrico prolongado os motivos pelos quais há grande miséria e baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) nos municípios localizados na região. Entretanto, conforme ensinamento de Pádua (2013), infere-se que não é a escassez hídrica que proporciona a pobreza e as condições de miséria aos habitantes de tais regiões, mas a não utilização de meios capazes de ofertar melhores condições de vida, a partir do uso de técnica alternativas, sociais e ambientais de produção agrícola, pecuária e ambiental (SANTANA, 2015).

Autores: Bartolomeu Vieira de Melo; Ana Paula de Moraes; Joaquim Manoel Florêncio; Gustavo Jonnas Simões de Morais
Bezerra e Sandro Valença da Silva.

leia-integra