BIBLIOTECA

Qualidade de pontos de captação de águas para abastecimento em propriedades rurais do município de Videira-SC

Resumo: Os mananciais hídricos vêm sofrendo com a contaminação proveniente das atividades humanas. As águas superficiais, provenientes de nascentes, são utilizadas no meio rural para o abastecimento humano e para atividades em geral, essa água torna-se um veículo importante na transmissão de agentes infecciosos, acarretando o aparecimento de diversas doenças. Em Santa Catarina, utilizam-se dois tipos de captação de águas superficiais, os poços escavados e os sistemas caxambu. Desta forma, o presente estudo teve como objetivo identificar e avaliar a qualidade microbiológica e físicoquímica da água de 13 nascentes em propriedades da área rural do município de Videira-SC no ano de 2015. Todas as amostras foram analisadas e submetidas aos cálculos do Índice de Qualidade da Água (IQA). Das amostras analisadas, 12 obtiveram como resultado qualidade boa e uma amostra obteve como resultado qualidade ótima, demonstrando que apesar das ações antrópicas, as águas encontram-se em qualidade adequadas para o consumo após desinfecção.

Introdução: Entre os usos prioritários para a água está a dessedentação humana e animal. Na região urbana dos municípios brasileiros, normalmente a água para consumo humano é tratada e distribuída por uma agência privada ou governamental que trata este recurso e o distribui de forma segura, realizando todas as análises, a fim de garantir que não se tenha nenhum contaminante, assegurando sua potabilidade para a população. Na área rural, no entanto, o método para obtenção de água é diferente, ocorrendo principalmente por nascentes (olhos d’água) ou poços artesianos. Nestas áreas, a água para consumo humano não costuma passar por um tratamento preliminar, tendo como reservatório o próprio local da nascente, o qual está sujeito à lixiviação de agrotóxicos utilizados na própria propriedade, além do acesso de animais, que podem conferir a água contaminantes bacteriológicos. Na grande maioria das vezes, a captação da água é realizada pelos próprios proprietários, e não há nenhum controle de qualidade dessas águas. Machado (2004) reforça que, normalmente, quando há água em abundância, os produtores rurais captam água diretamente das nascentes para abastecimento humano e animal, sem se preocupar em proporcionar qualquer tipo de tratamento desta água. Felipe e Magalhães Jr (2012) descrevem que as nascentes são sistemas ambientais importantes para a manutenção do equilíbrio hidrológico, geomorfológico e biológico, e proteger pontualmente as áreas de nascentes não garante a manutenção do equilíbrio hidrológico, já que resulta de uma dinâmica complexa da água, promovida por processos superficiais e subsuperficiais. As alterações nos volumes de água subterrânea e nas modificações nas áreas de contribuição à montante são potencialmente impactantes às nascentes, destacam os autores. Pinto e colaboradores (2004) relaram que conhecer o uso do solo nas áreas de recarga é muito importante, porque não é apenas a proteção da vegetação natural no entorno das nascentes que assegura a conservação de sua perenidade e qualidade de suas águas, mas sim, toda a atividade ao seu entorno. Desta forma, o presente estudo teve como objetivo identificar e avaliar a qualidade microbiológica e físico-química da água de 13 nascentes em propriedades da área rural do município de Videira-SC, das quais a água era utilizada para consumo humano. Para verificar sua qualidade foi utilizado o Índice de Qualidade das Águas (IQA), bem como uma avaliação das atividades desenvolvidas in loco.

Autores: Rafael Favretto; Cassiane Azevedo Camargo; Mauricio Perazzoli e Carla Suntti.

Leia o estudo completo: Qualidade de pontos de captação de águas para abastecimento em propriedades rurais do município de Videira-SC