BIBLIOTECA

Qualidade da água em lagos de mineração – Estudos de caso: Águas Claras e Riacho dos Machados.

Resumo:

Os lagos de mineração são formados nas cavas das minas, podendo ser de minas exauridas ou abandonadas. Seu preenchimento é realizado de forma natural (precipitação e subterrânea) e/ou artificial (água superficial). Os lagos de mineração originados de minerais sulfetados comumente possuem carácter ácido e aqueles decorrentes de minerais inertes tendem a apresentar pH neutro. O intuito desta pesquisa é verificar as características limnológicas, a qualidade da água, o comportamento hidrodinâmico e os usos dos lagos de mineração. Os estudos de caso deste trabalho são o Lago de Águas Claras da mina de Águas Claras (minério de ferro) e os lagos Cava Norte e Cava Sul da mina de Riacho dos Machados (ouro). Os dados de monitoramento utilizados neste trabalho foram de carácter secundários; a partir destes dados realizou-se análise temporal, estatística descritiva, testes não paramétricos de distribuição normal dos dados pelo Shapiro Wilk W test, análise sazonal pelo Mann-Whitney U test para todos os lagos e análise espacial Kruskal Wallis test somente para o lago de Águas Claras. O lago de Águas Claras possui comportamento meromítico (circulações verticais parciais) característico, devido à elevada profundidade (234 m) em sua configuração final; ele apresenta água com boa qualidade, atendendo à resolução CONAMA 357/05 classe 2 em todos os parâmetros para o conjunto de dados na análise da estatística descritiva; não há distribuição normal em nenhum parâmetro analisado; houve diferença significativa nos parâmetros DBO, OD, ferro total, pH e temperatura entre a superfície e o fundo (análise espacial – Kruskal Wallis test); existe diferença significativa entre o período seco e chuvoso para os parâmetros alcalinidade, DBO, dureza, pH, temperatura e turbidez na superfície e, no fundo, para fosfato total e turbidez. Para os lagos Cava Norte e Cava Sul não foi possível a
determinação de seu comportamento hidrodinâmico por ser necessária a análise de mais parâmetros e de outros testes. O lago Cava Norte recebia o lixiviado das pilhas de estéreis da mina, portanto, o pH do lago era ácido e, após a correção da DAM (Drenagem Ácida de Mina), o pH do meio aumentou. O lago Cava Sul possui pH neutro. A partir da análise estatística descritiva, os lagos não atenderam à resolução CONAMA 357/05 para o arsênio. Os parâmetros que possuem distribuição normal dos dados nos lagos são o sulfato, para a Cava Norte e Sul, e o pH, para a Cava Sul; o teste de sazonalidade verificou que não há diferença significativa entre o período seco e chuvoso em ambos os lagos.

Autora: Luciana Viana Gonçalves

Arquivo completo: Qualidade da água em lagos de mineração – Estudos de caso: Águas Claras e Riacho dos Machados