BIBLIOTECA

Projeto de Implantação de Sistema de Fossa Séptica Biodigestora e Clorador no Sítio Rio Manso/RJ

Resumo: O presente trabalho faz a elaboração de um projeto de construção de uma Fossa Séptica Biodigestora e um Clorador, sendo ambas as tecnologias desenvolvidas pela EMBRAPA. O sistema visa a melhorar a qualidade de vida em áreas rurais. O projeto foi desenvolvido para ser implantado no Sítio Rio Manso no Município de Paraíba do Sul/RJ. Durante a elaboração do presente trabalho foi observado que o sistema apresentado é viável do ponto de vista técnico e econômico, uma vez que apresenta baixa manutenção, fácil instalação e baixo custo. Ainda através do efluente gerado na Fossa Biodigestora, será possível fazer a fertilização da cana que é produzida no Sítio, dessa forma reduzindo ainda mais os custos na propriedade. E através do Clorador será possível melhorar a qualidade da água consumida na propriedade, permitindo a redução de doenças de veiculação hídrica.

Introdução: Dados do IBGE (2007) revelam que aproximadamente um quinto da população brasileira vive em área rural, sendo que, em sua maioria, não dispõe de tratamento adequado para o esgoto doméstico. A falta de água, a cobrança pelo seu uso, restrições na legislação e outros fatores limitantes, vem pressionando a sociedade na tomada de decisões que envolvam o uso racional da água, a sua reutilização, e seu tratamento. Tem se verificado pouca importância por parte do Estado e a falta de um direcionamento de políticas públicas quanto ao tratamento de efluentes líquidos gerados nas pequenas propriedades rurais que, individualmente, não produzem quantidades elevadas de cargas poluidoras. No entanto ao se considerar sua totalidade, essas representam um montante considerável que é lançado de forma dispersa e sem tratamento algum. É comum em propriedades rurais o uso do que é popularmente conhecido como fossa negra, sumidouro e outras técnicas rudimentares, onde o objetivo maior é dar um destino aos dejetos. Essas técnicas são sempre inadequadas e ineficientes do ponto de vista técnico, e ainda estão sempre próximos a cursos d’água e poços de onde são captadas águas para o abastecimento humano. No entanto esse é um sistema primitivo e simplório com a possibilidade de contaminação da população, que faz uso dessa técnica, e do meio ambiente (Novaes et al 2005). A Fossa Séptica Biodigestora, vem sendo empregada para melhoria do saneamento nas regiões rurais, a fim de reduzir a carga de matéria orgânica lançada nos corpos hídricos, e a contaminação do solo. Por ter um baixo custo de instalação e fácil manutenção o processo de biodigestão de resíduos orgânicos é uma possibilidade real para a melhoria do saneamento no meio rural e consequente aumento da qualidade de vida da população (Novaes et al 2005). A utilização do Biodigestor tem se mostrado uma excelente alternativa principalmente nas comunidades rurais, visto que seu uso ofereceu melhoria na qualidade de vida das pessoas, possibilitando a geração de energia elétrica, o uso de aquecedores a gás, e principalmente utilização do efluente gerado, para melhorar a fertilidade do solo, substituindo a tradicional adubação química em algumas culturas. Daí a justificativa para o emprego desse equipamento, visto que sua instalação a um custo relativamente baixo e de fácil manutenção, substitui o esgoto a céu aberto possibilitando melhorias das condições rurais. Outro fator relevante é a água utilizada para abastecimento e consumo humano, que deve ser de excelente qualidade a fim de promover a saúde de quem a consome. A água é uma substancia essencial para a manutenção da vida. Entretanto, também pode ser um meio de veiculação para inúmeras doenças quando não tratada de maneira adequada. As doenças de veiculação hídrica predominam principalmente nas regiões rurais, onde o tratamento da água é deficiente ou inexistente. Dessa forma, o presente estudo ainda visa a implantar, no Sítio Rio Manso, um clorador, que foi desenvolvido pela Embrapa. A instalação desse equipamento vai possibilitar a melhoria na qualidade da água que é consumida pelos moradores dessa propriedade, bem como a dessedentação do gado e limpeza dos locais de ordenha, e demais atividades da rotina local. A instalação desse equipamento vai possibilitar a melhoria na qualidade da água que é consumida pelos moradores dessa propriedade, bem como a dessedentação do gado e limpeza dos locais de ordenha, e demais atividades da rotina local. O projeto de Unidade conjunto da Fossa Séptica Biodigestora e Clorador para desinfecção, objetivo do presente estudo, tornou-se possível, pela parceria com o Programa Balde Cheio, desenvolvida pela Embrapa Pecuária Sudeste em Parceria com o Departamento de Agropecuária da Secretaria de Municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil da Cidade de Paraíba do Sul/RJ. A implantação desse projeto justifica-se pelo fato de que, com a instalação conjunta dos equipamentos, será possível a preservação do meio ambiente e a promoção da saúde com a utilização de equipamentos de baixo custo, fácil manutenção, e de prática instalação tornando-se economicamente e tecnicamente viáveis as condições de pequenas propriedades rurais, através da instalação de unidade demonstrativa de clorador para desinfecção da água para consumo e Fossa Séptica Biodigestora.

Autores: Felipe Thiago da Silva Lima; Cristiane de Souza Siqueira Pereira; André Rodrigues Pereira e Flaviane de Fátima de Sousa Cândida.

Leia o estudo completo: projeto-de-implantacao-de-sistema-de-fossa-septica-biodigestora-e-clorador-no-sitio-rio-manso-rj