BIBLIOTECA

Preservar 80% da Amazônia custa 7 vezes menos do que Europa gasta com suas áreas de proteção

Preservar a Amazônia – quanto custa?

Resumo

Preservar a Amazônia – quanto custa?  – A proteção da Amazônia brasileira é essencial para evitar o colapso da biodiversidade global e minimizar os impactos negativos das mudanças climáticas em todo o mundo. No entanto, ainda não há estimativa de como quanto custa conservar a maior parte desta região. Relatamos que manter ∼80% (3,5 milhões de km2) do região dentro de áreas de conservação (unidades de conservação e terras indígenas) custaria minimamente cerca de USD 1,7–2,8 bilhões por ano em gerenciamento recorrente e custos de todo o sistema, além de um investimento inicial de US$ 1,0-1,6 bilhão para custos de estabelecimento. Construindo um sistema de conservação sustentável e definitivo manter a integridade sócio ecológica da região mais biodiversa do mundo ainda é possível, mas a janela de oportunidade para alcançar uma das realizações de conservação mais significativas da história da humanidade pode ser fechada em breve e – dada a diminuição da resiliência dos ecossistemas da região – para todo sempre.

Highlights:

  • Segundo novo estudo, conservar 3,5 milhões de km2 da floresta, área necessária para preservar suas funções ecológicas, custaria de 1,7 a 2,8 bilhões de dólares anuais.
  • Em contrapartida, a União Europeia gasta cerca de 5,3 bilhões de dólares por ano para manter apenas 1 milhão de hectares, soma total de suas áreas protegidas.
  • As unidades de conservação atuais representam 51% da Amazônia brasileira, e são insuficientes para manter a biodiversidade do bioma.
  • O orçamento federal de 2022 destinado à conservação ambiental representa 0,03% dos gastos públicos.

Autores: José Maria Cardoso da Silva, Luís Claudio Fernandes Barbosa, Julie Topf, Ima Célia G. Vieira, Fabio R. Scarano

leia-integra