BIBLIOTECA

Logística reversa da água na indústria de louças sanitárias no Brasil

Resumo: Desde os primórdios da industrialização no mundo, processos produtivos e questões ambientais estão entrelaçados. Tal relação fica clara e profunda principalmente na extração de matérias-primas e nas emissões de poluentes ao meio ambiente, ooriundas dos diversos processos industriais. Considerando tal aspecto, tem-se a água como um bem escasso em todo o planeta e de grande utilidade aos processos industriais seja por incorporação a produtos, seja como meio receptor dos poluentes hídricos gerados e que se julga necessário descartar. Por outro lado, muitas são as estratégias propostas para tornar os processos produtivos menos intensivos em consumo de água e menos geradores de efluentes líquidos, dada a expectativa de custos privados e sociais crescentes devido à escassez dos recursos hídricos. O presente trabalho exibe o uso de uma estratégia de gestão de resíduos sólidos utilizada em todo o mundo, adaptando a mesma à gestão da água em uma indústria de louças no Brasil tomando por base o pós consumo de água em processos industriais. Trata-se então de aplicar conceitos de Logística Reversa na gestão da água de indústrias como forma de internalizar custos ambientais e aumentar a eficiência de processos produtivos oportunizando maiores condições de competitividade da indústria no contexto onde a ética em relação ao meio ambiente se faz cada vez mais necessária.

Introdução: O conceito de produção de bens e serviços sempre se revelou expansionista e inclinado a acreditar na possibilidade de crescimento ilimitado (O’HARA, 2009). Dada a relação íntima entre produção e meio ambiente, a doutrina do crescimento ilimitado da produção e suas metas sucessivas de alcance de recordes de unidades produzidas, fazem das indústrias recordistas também no consumo de água e na geração de emissão de poluição hídrica. A crise hídrica confessada por vários países se contrapõe ao fato de que setenta e cinco por cento de toda a superfície de nosso planeta seja formada por água. Entretanto, a maior parte dessa água não se encontra acessível de forma direta para consumo humano, pois noventa e sete por cento da mesma é salgada e dois por cento encontram-se em geleiras. Com apenas um por cento do total de toda a água do planeta, possuindo salinidade baixa o suficiente para ser classificada como água doce, dentro desse universo, noventa e sete por cento da mesma se encontra em fontes subterrâneas, deixando então a sobra – três por cento – para o consumo humano de modo menos oneroso e, portanto, acessível à maior parte da população mundial (ZOBY; OLIVEIRA, 2005). Diante de tal quadro, o presente trabalho objetiva elaborar um ensaio teórico sobre o uso de estratégia de Logística Reversa para águas utilizadas em processos industriais, com ênfase na fabricação de louças sanitárias no Brasil. A relevância do trabalho reside no fato de que atualmente águas industriais utilizadas em processos fabris de louças sanitárias no Brasil possuem potencial para a aplicação do conceito de Logística Reversa trazendo benefícios para a indústria e para o meio ambiente, dada a redução de consumo de água aliada à minimização de lançamento de efluentes líquidos em corpos receptores. O trabalho elaborado se constitui numa pesquisa aplicada, pois pretende contribuir para o uso de Logística Reversa no pós consumo de água no setor de fabricação de louças sanitárias no Brasil. A despeito da existência de técnicas de reuso de águas em várias atividades industriais, a estratégia proposta possui objetivos normativos, pois apresenta proposições de melhoria de gestão de efluentes hídricos industriais disponíveis na literatura existente. A abordagem utilizada é qualitativa, pois promove uma avaliação de instrumentos de gestão em curso no segmento de fabricação de louças sanitárias no Brasil. Ao final do trabalho conclui-se que o uso do conceito de Logística Reversa para a gestão das águas de processos industriais de louças sanitárias no Brasil apresenta vantagens sobre a forma atual de gestão, pois reduz a dependência da indústria em relação à agua bem como contribui para a redução de custos e riscos de poluição ambiental por lançamento de efluentes não conformes em relação à legislação ambiental vigente.

Autores: Bernardo Avellar e Sousa; Marcus Vinicius Faria de Araujo; Fernando Augusto Silva Marins; Antonio Henriques de Araujo Junior e Romir Almeida dos Reis.

Leia o estudo completo: logistica-reversa-da-agua-na-industria-de-loucas-sanitarias-no-brasil