BIBLIOTECA

Avaliação da influência da vazão na evolução temporal das características dos líquidos lixiviados gerados em um aterro sanitário

Resumo

Os líquidos lixiviados gerados em áreas de disposição final de resíduos sólidos urbanos podem gerar problemas ambientais, devido ao seu alto potencial poluidor, caso sejam descartados sem tratamento. Logo, é fundamental que se conheça qualitativamente e quantitativamente as características desses líquidos que apresentam grande variabilidade em sua composição e quantidade gerada.

O presente trabalho objetiva analisar e discutir a evolução da concentração de alguns parâmetros físico-químicos presentes nos líquidos lixiviados do aterro sanitário de Belo Horizonte (MG), assim como a influência da variação da vazão desses líquidos ao longo do tempo, principalmente, após o encerramento das atividades de disposição de RSU nesse aterro.

Os resultados apresentados no trabalho se referem a um período de aproximadamente 12 anos de monitoramento e fornecem uma visão geral da evolução temporal das concentrações de alguns parâmetros físico-químicos nos líquidos lixiviados gerados no aterro de Belo Horizonte (MG), os quais vêm apresentando características de lixiviados de aterros mais velhos.

A quantidade de líquidos lixiviados gerados vem reduzindo ao longo do tempo, como era esperado, e apresentando relação direta com as precipitações pluviométricas. Em relação aos parâmetros físico-químicos dos líquidos lixiviados, não foi observada uma relação direta entre a vazão de líquidos lixiviados e a concentração destes, assim como a análise de alguns parâmetros foi prejudicada pela limitação dos equipamentos utilizados na obtenção dos dados (limite de detecção).

Introdução

Atualmente, uma das grandes preocupações ambientais está relacionada ao manejo dos resíduos sólidos urbanos (RSU) gerados pelas populações e indústrias, principalmente, em relação ao seu tratamento e disposição final, que representa um dos principais problemas na maioria das cidades, intensificando-se nos grandes centros urbanos, devido ao grande volume de resíduos gerados e à escassez de áreas para implantação de novos sistemas de manejo, tratamento e disposição final (Catapreta, 2015).

No Brasil, a solução mais utilizada para a disposição final dos RSU são os aterros sanitários, considerados como a alternativa mais viável economicamente. Para que esses se configurem como uma solução de fato para a minimização dos danos ao meio ambiente e à saúde pública, esses aterros precisam ser projetados, implantados, operados e encerrados segundo critérios de engenharia, bem como possuir o acompanhamento e monitoramento adequado à luz das tecnologias e normas existentes.

Desta forma, a disposição de resíduos sólidos urbanos em aterros sanitários requer uma série de critérios operacionais, ambientais e geotécnicos bastante complexos, devido aos mecanismos físicos, químicos e biológicos envolvidos e que influenciam diretamente o comportamento geral dos aterros (Catapreta, 2008).

Após a disposição dos RSU em aterros sanitários, a matéria orgânica existente começa a se degradar, principalmente, através dos processos de digestão anaeróbia. Um dos derivados deste processo de degradação é a formação de líquidos lixiviados, que apresentam, ao longo do tempo, grande variação em suas características. Essa variação ocorre em função de diversos fatores que, segundo Celerei et. al. (2007), vão desde as condições pluviométricas locais até o tempo de disposição e características dos próprios resíduos. Além disso, esses líquidos podem conter altas concentrações de metais pesados, sólidos suspensos e compostos orgânicos originados da degradação de substâncias que são metabolizadas, como carboidratos, proteínas e gorduras.

Ainda segundo Celerei et. al. (2007), por apresentarem substâncias altamente solúveis, esses líquidos lixiviados podem escoar e alcançar as coleções hídricas superficiais ou até mesmo infiltrar-se no solo e atingir as águas subterrâneas, comprometendo sua qualidade e potenciais usos.

Baseando-se no risco de uma disposição inadequada dos RSU, destaca-se a necessidade de conduzir estudos e monitoramentos que visem aferir a presença e a concentração de algumas substâncias nocivas ao meio ambiente nos líquidos lixiviados e avaliar como estas se alteram ao longo do tempo, conforme a variabilidade da vazão desses líquidos.

Deve-se considerar ainda, que os líquidos lixiviados apresentam grande variabilidade quantitativa e qualitativa em suas características, já que depende de fatores como as condições do ambiente local, o tempo de disposição dos resíduos, a forma de operação do aterro sanitário e até as características dos resíduos descartados (p.ex. quantidade de matéria orgânica). Geralmente, os líquidos lixiviados são compostos de substâncias orgânicas e inorgânicos. Logo, é necessário que se conheçam as suas características físico-químicas para que seja realizado o seu correto gerenciamento.

Nesse sentido, o presente trabalho tem como objetivo analisar e discutir a evolução da concentração de alguns parâmetros físico-químicos presentes nos líquidos lixiviados do aterro sanitário de Belo Horizonte (MG), assim como a influência da variação da vazão destes líquidos ao longo do tempo, principalmente, após o encerramento das atividades de disposição de RSU nesse aterro.

Autores: Cícero Antonio Antunes Catapreta; Gustavo Ferreira Simões; Mariana Gomes Cardoso de Abreu; Marco Túlio Santos Guimarães e Paulo Roberto da Silva Júnior.