BIBLIOTECA

Impacto da ação antrópica sobre a qualidade da água e da ictiofauna da represa de Juturnaíba–Silva Jardim–RJ (Brasil)

Resumo: A Represa de Juturnaíba é o maior manancial de água doce da bacia do Rio São João. Tem como principais afluentes os rios São João, Capivari e Bacaxá. Como fornecedora de água para os quase 600 mil moradores e cerca 1.500.000 de turistas em estação de alta temporada de toda a região dos Lagos Fluminense, necessita de um olhar mais cuidadoso por parte de todo aquele que lhe faz uso, seja para fornecimento de água, seja para usos de contato primário ou secundário. O objetivo dessa pesquisa foi avaliar a qualidade de água existente no reservatório de Juturnaíba através de análises físico-químicas e microbiológicas realizadas a montante nos rios São João, Capivari e Bacaxá com as análises feitas à jusante, identificando a hidrodinâmica do mesmo; trazer os resultados do monitoramento de metais traço e de biomarcador de efeito neurotóxico na espécie Ciclha orinocensis na represa de Juturnaíba entre março de 2015 e abril de 2016, comparando com os parâmetros estabelecidos na legislação brasileira e do Mercosul. Para a análise de água, foram feitas seis coletas em seis pontos estratégicos e analisados os parâmetros supracitados. Os ânions fluoreto, cloreto, nitrato, nitrito, fosfato, brometo e sulfato também foram analisados. Os parâmetros foram comparados com as resoluções CONAMA 274/2000, 357/2005 e com a portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde. O afluente com maiores restrições na qualidade da água para coliforme termotolerante foi o rio Capivari, bem como também apresentou alteração no oxigênio dissolvido. O rio com melhor qualidade da água foi o Rio São João, demonstrando boas condições para manter a vida aquática. A represa de Juturnaíba devolve ao baixo rio São João águas que poderiam ser classificadas como excelente pela Resolução CONAMA 274. O Pagamento por Serviços Ambientais é uma prática crescente em várias partes do país. Diante da importância que a bacia tem na região, sua implantação foi proposta. Para a análise de peixes, foram feitas três coletas na represa de Juturnaíba e uma no rio São João (local de referências). O pH dá água da represa mostrou-se dinâmico entre 2001 e 2016: em 2001 era neutro a alcalino e, na presente pesquisa, mostrou-se neutro a ácido. O pH ácido é ótimo para a biodisponibilização do metal alumínio. Em duas das coletas de peixe o fator de condição foi alométrico positivo. Na coleta de setembro/2015, o fator de condição foi alométrico negativo, indicando perda de higidez nesse período. O índice hepatossomático não variou. A AChE cerebral do tucunaré não apresentou diferença com significância estatística, diferentemente da muscular. Foram analisados os metais Al, Ba, Cd, Cu, Cr, Fe, Mn, Ni, Pb, Sr, Zn e As. O Zn, Sr, Al e Fe foram os metais que apresentaram maior concentração no músculo do tucunaré. A represa necessita de cuidados imediatos para que o seu tempo de vida útil seja mantido.

Autora: Marla Regina Domingues de Morais.

Leia o estudo completo: impacto-da-acao-antropica-sobre-a-qualidade-da-agua-e-da-ictiofauna-da-represa-de-juturnaiba-silva-jardim-rj-brasil