BIBLIOTECA

Como construir uma cisterna para aproveitamento de água de chuva

A primeira coisa que se deve projetar para o aproveitamento de água de é o tamanho da cisterna que se poderá construir

Para isso se deve levar em consideração:

* área disponível para sua construção

* volume de água a ser estocado

* tamanho da área de captação de água (Telhado)

* Custo de construção

* índice pluviométrico na região: (considerar média de chuvas mensais e o período de duração da seca – onde não chove)

* volume de água a ser utilizado no sistema de aproveitamento de água (quanta a´gua será gasta para lavagem de piso, irrigação etc….)

Uma vez calculado o volume de água que pode ser estocada, e que será utilizada , o tamanho da cisterna poderá ser calculado, considerando especialmente a necessidade de estocar água para o período das secas. A cisterna abaixo do nível do solo pode ser construída em alvenaria (com impermeabilização), concreto armado (com impermeabilização), ou peças pré-fabricadas em plástico. Nas duas primeiras opções recomendamos uma consulta a um engenheiro calculista para que possa fazer um projeto da cisterna; no caso das cisternas pré-fabricadas de plástico se poderá consultar os fabricantes existentes no mercado, (como a Rotogine por exemplo).

A cisterna depois de pronta deverá receber e estocar apenas águas pluviais canalizadas (calhas do telhado) e não poderá receber água de outras fontes que não sejam conhecidas ou de ralos do piso, pois estes podem carrear sujeiras e produtos indesejados (efluentes,urina e fezes de animais, produtos de limpeza e etc..).

A água antes de ser armazenada deve passar por um filtro de tela ou filtro “Y” utilizado em irrigação. A função destes filtros é eliminar folhas sujeiras de maior porte ou pequenos animais. Pode ser instalado também um equipamento para desviar os primeiros minutos de chuva (água um pouco mais suja que “lavou” a atmosfera e o telhado).

A tubulação de entrada da água na cisterna e o tubo “ladrão” que toda cisterna deve ter, precisam ter um sinfonamento para evitar a entrada de animais e roedores e outros pequenos insetos. Dentro da cisterna devem ser previstos ainda duas coisas:

* Sistema de bombeamento: uma bomba bem calculada para utilização da água, em sistemas mais sofisticados o sistema de bombeamento pode estar associado a um sistema de recirculação da água dentro da cisterna (não obrigatório) ou mesmo de pressurização de rede (não obrigatório). Toda bomba deve possuir um sistema de dijuntores, chave bóia e proteção para desarme em casos de emergência ou queda de fases (consulte um eletricista ou o fabricante das bombas). A bomba pode prever ainda uma bóia para controle de nível que permitirá o acionamento e desarme da bomba através do controle de nível máximo e mínimo dentro da cisterna. Pode-se prever ainda uma entrada de água do serviço público de abastecimento em sistemas onde não pode faltar água.

* Sistema de cloração: para que a água estocada não apresente riscos de contaminação, proliferação de insetos e larvas, é necessário um sistema de cloração. No mercado existem diversos sistemas de cloração possíveis:

automáticos, manuais, por pastilhas, por hipoclorito liquido, artesanais, bombas dosadoras elétricas, flutuadores, sistemas de cloração por passagem etc. Cada usuário deve definir no mercado a melhor opção de cloração de sua cisterna conforme sua necessidade ou mesmo o grau de eficiência e manutenção desejado.

Daniel Xavier

Rotogine Tecnologia Ambiental

http://www.uniagua.org.br/