BIBLIOTECA

Brasil é o sexto país do mundo em investimentos em energia limpa

Relatório coloca país entre os líderes mundiais e destaca potencial eólico nacional
A China ultrapassou os Estados Unidos e apareceu pela primeira vez como líder global em investimentos em energias renováveis, com US$34,6 bilhões aplicados no setor em 2009. Os americanos ficaram em segundo lugar, com US$18,6 bilhões, seguidos pelo Reino Unido, com US$11,2 bilhões. Os números são do relatório “G-20 Clean Energy Factbook”, elaborado pela fundação Pew Charitable Trusts. O documento ainda mostra o Brasil em sexto lugar no ranking, com US$7,4 bilhões destinados às fontes limpas de energia.

É a primeira vez em cinco anos em que os Estados Unidos aparecem fora do topo. O país, que viu os investimentos no setor caírem 40% no último ano, foi bastante abalado pela crise financeira. A retração só foi superada no último trimestre de 2009, com a aplicação de fundos do governo para incentivar a energia renovável. “Apesar dessa reversão de investimentos, não há razões para se preocupar sobre a posição competitiva dos EUA no mercado”, ressalta o relatório.

O documento coloca o Brasil como um “líder do G-20” e lembra que o país “está pronto para um crescimento significativo nos investimentos em energia eólica”. Considerando usinas eólicas, plantas a biomassa e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), o estudo aponta o Brasil em nono colocado entre os países com mais capacidade renovável instalada, com 8,9GW.

O País também se destaca por haver conseguido avançar sem subsídios governamentais, fortemente aplicados na China e nos Estados Unidos. Segundo o texto, o Brasil anunciou apenas US$2,5 bilhões em fundos de estímulo à geração de eletricidade limpa, enquanto os EUA aplicaram US$66,6 bilhões e a China US$46,9 bilhões no setor.

“Enquanto os investimentos caíram em 2009 devido à crise financeira, o Brasil experimentou a segunda maior taxa de investimentos dos últimos cinco anos”, destaca a análise. O País é colocado como segundo maior em renováveis entre os emergentes – atrás apenas da China – e como “um claro líder em energia limpa”, com destaque para a capacidade instalada em usinas a biomassa e PCHs.

Tendências

O estudo aponta a energia eólica e a solar como as que mais receberam recursos durante o ano. Somente as usinas eólicas foram responsáveis por mais de 50% to total aplicado em fontes limpa sem 2009. “Reconhecida como limpa, segura, competitiva em preços, a energia dos ventos está sendo utilizada como uma importante fonte de eletricidade nas economias líderes em energia verde”, analisa o texto.

A geração solar, mais forte nos EUA, Espanha e União Europeia, é vista como “pronta para se expandir”. Segundo a fundação americana, os preços da fonte caíram significativamente nos últimos anos – ao mesmo tempo em que as tecnologias avançaram. Por outro lado, o setor de biomassa demonstra uma retração em relação aos anos de 2006 e 2007, quando apresentou forte crescimento.

Fonte: Jornal da Energia / http://www.informagroup.com.br/