BIBLIOTECA

Avaliação da qualidade de recursos hídricos em reservatórios de abastecimento: estudo de caso da Barragem do Rio São Bento

Resumo: Diante da crescente urbanização, os problemas ambientais vêm tornando-se cada vez mais preocupantes, dentre eles, estão os recursos hídricos, onde a demanda torna-se cada vez maior e escassez mais presente. Com a instalação da Barragem do Rio São Bento, em Siderópolis – SC, a demanda hídrica da região de Criciúma teve seus conflitos minimizados, contribuindo para o abastecimento humano, industrial e agrícola. Justificando a importância da Barragem do Rio São Bento para a região, o monitoramento da qualidade da água é de extrema importância. Como monitoramento, tem-se o Índice de Qualidade das Águas (IQA), que informa a qualidade da água em um único resultando. O trabalho tem como objetivo avaliar a qualidade da água do reservatório da Barragem do Rio São Bento e verificar a variação espacial, temporal e sazonal da qualidade da água. Foram usados os dados do monitoramento do período de 2005 a 2014. As amostras foram coletadas em pontos a montante do reservatório (Ponto 1 e Ponto 2), quatro pontos no reservatório (Ponto 3.0, Ponto 3.1, Ponto 3.2 e Ponto 3.3) na profundidades de Superfície (S), Meio (M) e Fundo (F). Ainda foi coletada amostra a jusante da barragem (Ponto 5). Foram calculados o Índice de Qualidade das Águas (IQA) e o Índice de Qualidade da Água em Reservatórios (IQAR). A avaliação da variação espacial e sazonal foi realizada por meio da Análise de Variância (ANOVA) de uma Via seguido de post hoc com teste de Tukey. Tanto para a ANOVA como para o teste de Tukey adotou-se o nível de significância de 5%. Na avaliação sazonal agrupou-se os dados por estação do ano. A variação temporal do IQA foi realizada com base na análise de regressão linear dos valores de IQA ao longo dos anos de monitoramento, com o intuito de avaliar a tendência significativa do coeficiente angular da equação ajustada. Os resultados evidenciam que há variação do IQA nos pontos de amostragens. Os Pontos 1, 2, 5, 3.0.S, 3.1.S, 3.2.S e 3.3.S não apresentaram diferenças significativas no IQA médio, classificando a qualidade da água em “Ótima”. Os menores valores médios de IQA foram observados nos pontos 3.1.F e 3.3.F classificados como qualidade “Boa”. Também foi observado que nos pontos 1, 2, 3.0.S, 3.1.S, 3.3.S e 5 não houve variação sazonal do IQA, enquanto que para os demais pontos os maiores valores de IQA foram observados no inverno e primavera e menores no outono e verão. A análise temporal apresentou tendência significativa de aumento do IQA para os pontos 3.0.M e 3.0.F e para os demais pontos não houve tendência significativa. Com base nos dados do monitoramento conclui-se que não existem diferenças significativas entre a qualidade da água a montante e a jusante de barragem. Os pontos de monitoramento de água na superfície do reservatório apresentam qualidade da água semelhante aos pontos a montante. O ponto de monitoramento mais profundo foi observado tendência significativa de aumento do IQA.

Introdução: Diante da crescente urbanização, a humanidade vem sofrendo uma série de problemas ambientais. Entre estes, está à preocupação com os recursos hídricos, onde a demanda torna-se cada vez maior, adquirindo uma importância especial devido ao impacto do aumento populacional. Visando não somente o desenvolvimento sustentável, como também o abastecimento humano, a qualidade da água é vista em todos os campos de atuação da engenharia, sendo que, a avaliação da mesma, é de grande importância, podendo ser realizada por meio de monitoramentos do Índice de Qualidade das Águas (IQA) e pelo Índice de Qualidade da Água em Reservatórios (IQAR). O principal objetivo do IQA é informar a qualidade de um determinado corpo hídrico de forma mais acessível e de fácil entendimento pelas pessoas envolvidas no gerenciamento dos recursos hídricos, convertendo as várias informações em um único resultado. Com o aumento da demanda hídrica e a escassez no Brasil, a poluição dos recursos hídricos torna-se cada dia mais agravante, exigindo que o planejamento e o manejo desses recursos sejam implantados para a minimização dos impactos. A região de Criciúma, por muitos anos, teve como principal atividade econômica a mineração de carvão, atividade esta, que provoca até os dias atuais a degradação dos recursos hídricos. Diante dos inúmeros impactos quantitativos e qualitativos, a necessidade de atender a demanda de água durante os períodos de estiagem na região, fez surgir à necessidade da implantação da Barragem do Rio São Bento que contribui para o abastecimento humano, industrial e agrícola. Justificando a importância que a Barragem do Rio São Bento possui para a região de Criciúma como fonte de abastecimento, a análise da qualidade da água torna-se um instrumento de monitoramento extremamente indispensável, apresentando por meio do IQA, por exemplo, o grau de poluição desse recurso. Localizada no município de Siderópolis – SC, a Barragem do Rio São Bento possui uma acumulação de água, com volume útil de 53,2 hm³, possibilitando o abastecimento até o ano de 2033, para uma população de 730.000, como também para o abastecimento industrial e para a resolução dos problemas conflitantes na irrigação de lavouras.
O objetivo geral do trabalho de conclusão de curso é avaliar a qualidade da água do reservatório da Barragem do Rio São Bento. E os seus objetivos específicos: a) Avaliar a variação espacial da qualidade da água no reservatório da Barragem do Rio São Bento; b) Avaliar a variação sazonal da qualidade da água no reservatório da Barragem do Rio São Bento; c) Avaliar a evolução temporal da qualidade da água no reservatório da Barragem do Rio São Bento; d) Aplicar Índices de Qualidade das Águas (IQA); e) Aplicar Índice de Qualidade da Água em Reservatórios (IQAR). Para a análise da qualidade da água do reservatório, foram levantados dados de monitoramento da Barragem do Rio São Bento, entre o período de 2005 a 2014 para a realização dos cálculos do Índice de Qualidade das Águas (IQA) e Índice de Qualidade da Água em Reservatórios (IQAR).

Autores: CAMILA DAL PONT DALL’AGNOL.

Leia o estudo completo: avaliacao-da-qualidade-de-recursos-hidricos-em-reservatorios-de-abastecimento-estudo-de-caso-da-barragem-do-rio-sao-bento