BIBLIOTECA

Análise da qualidade da água subterrânea em áreas industriais contaminadas na UGRHI-22

Resumo

A poluição de origem industrial afeta negativamente a qualidade do solo e compromete a qualidade dos meios aquáticos, os quais são responsáveis pelo abastecimento de água. O objetivo do trabalho foi analisar a qualidade da água subterrânea em áreas industriais contaminadas na UGRHI 22. Para a identificação das áreas utilizamos as informações obtidas por meio de relatórios informando a localização das áreas potencialmente contaminadas por processos de atividades industriais em todo território do estado de São Paulo pela CETESB, com essas informações definiu-se poços de monitoramento para analisar a água subterrânea. Os resultados obtidos identificaram que as áreas contaminadas seguem o Limite Quantitativo Praticável da Resolução CONAMA nº 396/08, apenas o parâmetro de Cromo na área 2, a jusante da segunda coleta foi superior. Conclui-se que medidas de recuperação já estão sendo feitas e que é devido a isso, que os valores dos resultados encontrados na pesquisa foram resultados abaixo dos limites de quantificação praticáveis estando enquadrado na resolução CONAMA n° 396/08.

Introdução

A degradação da qualidade do meio ambiente ocorre de forma crescente em maior parte do mundo. A contaminação do solo por processos e atividades industriais que acarretam também o descarte de resíduos é um dos maiores destaques de um passivo ambiental (SÁNCHEZ, 2004).

Uma empresa possui um passivo ambiental quando ela causa um dano ao meio ambiente de alguma forma e/ou ação (KRAEMER, 2003), ou seja, quando o gasto ambiental é incorrido e não pago. Ele surge quando a empresa tiver obrigação de prevenir, reduzir ou retificar um dano ecológico por causa de uma obrigação legal, contratual, política, voluntária ou estratégica. Trata-se, portanto, de gastos incorridos em atividades que visam ao equilíbrio dos ecossistemas afetados pelo negócio da empresa (VELLANI,2010). O passivo sempre foi visto como de fácil identificação, porém o principal problema não reside na sua avaliação, mas em quando reconhecê-lo e registrá-lo, a fim de prevenir o fato de serem gerados a partir do descumprimento de regulações ambientais e que possam trazer prejuízo a outrem (HAHN; REZENDE; NOSSA, 2010).

Toda responsabilidade social relacionada aos aspectos ambientais fica na obrigação das indústrias e empresas, sendo estas obrigadas a realizar um gerenciamento adequado, para a destinação correta de seus resíduos e insumos provenientes de todas as atividades devido o passivo ambiental representar grandes agravos ao meio ambiente (CETESB, 2017). Assim, a poluição de origem industrial afeta negativamente a qualidade do solo, de maneira que essas substâncias e contaminantes permanecem na atmosfera terrestre ocasionando a poluição de mananciais, do lençol freático e comprometendo a qualidade dos meios aquáticos os quais são responsáveis pelo abastecimento de água para sobrevivência do homem. Além disso, afeta desfavoravelmente a biota, as condições estéticas e sanitárias dos ambientes (CETESB, 2001).

Dessa forma, a elaboração deste estudo se dá pela escassez encontrada em trabalhos científicos desenvolvidos referentes à abordagem de área contaminada por atividades industriais. Vale ressaltar que o trabalho visa apontar o grau de relevância de estudo de uma área contaminada em uma bacia hidrográfica, sendo que essa área possui um grande potencial negativo de causar dano ao solo e as águas subterrâneas que são essenciais para a manutenção da vida.

Autores: Renata Cristina Mafra; Melissa Arantes Pinto; Laís Gabriela Marques; Lucas Flávio Thomaz; Elson Mendonca Felici e Letícia Aparecida Costa.

leia-integra