BIBLIOTECA

Análise microbiológica da água do instituto de saúde de Nova Friburgo da Universidade Federal Fluminense

Resumo

A água consiste de um recurso essencial à vida. Sem esta, seria impossível a sobrevivência em nosso planeta. Sem o tratamento adequado, a água pode tornar-se via de transmissão de diversas doenças, desse modo, destaca-se a importância de verificar a qualidade da mesma a fim de garantir a segurança de seu consumo e utilização. Bactérias do grupo coliforme são utilizadas como indicadores, fornecendo informações sobre a possível contaminação de origem fecal e a possível presença de patógenos. Assim o objetivo principal do presente trabalho foi analisar microbiologicamente amostras de água adquiridas no Instituto de Saúde de Nova Friburgo (ISNF) da Universidade Federal Fluminense (UFF) segundo a portaria número 2.914 de 12 de dezembro de 2011 do Ministério da Saúde (MS) que estabelece a ausência de coliformes totais (CT) e coliformes fecais (CF) em 100 mL, e o limite de bactérias heterotróficas de 500 Unidades Formadoras de Colônias (UFC)/mL de água analisada. Para a realização deste trabalho foram coletadas seis amostras de água no ISNFUFF, adquiridas de três pontos de coleta, sendo eles: torneira de uso comum (ponto A) do laboratório Multidisciplinar I, um dos bebedouros (ponto B) do campus e uma seringa tríplice (ponto C) utilizada no atendimento à população na clínica odontológica. As coletas foram realizadas entre 05 e 26 de agosto de 2019 no período vespertino. Para a análise das amostras, utilizou-se o método dos tubos múltiplos (Número Mais Provável – NMP) para detecção de CT e CF, além da realização da técnica de Pour Plate para a detecção de bactérias heterotróficas. Todas as amostras avaliadas apresentaram ausência de CT e CF, e a presença de bactérias heterotróficas foi observada apenas nas amostras da clínica odontológica, excedendo os limites permitidos. Assim os resultados obtidos no presente trabalho, segundo o preconizado pela legislação vigente, concluiu-se que, do ponto de vista microbiológico, quatro amostras (67%) encontram-se dentro dos padrões de potabilidade e duas (33%) apresentaram-se inadequadas devido ao número aumentado de bactérias heterotróficas. Desta maneira a água dos pontos A (torneira) e B (bebedouro) atendem aos parâmetros microbiológicos exigidos pela lei em vigor, não apresentando riscos aos que a utilizam, e a água do ponto C (seringa tríplice) necessita de mais avaliações, uma vez que a coleta foi realizada em um único dia, para confirmação do presente resultado.

Autora: DÉBORA WENDERROSCKY DE AGUIAR TARDOQUE.

 

leia-integra