BIBLIOTECA

Análise do processo corrosivo sofrido nos equipamentos e tubulações do reservatório de abastecimento hídrico da cidade de Pau Dos Ferros/RN

Resumo: Os metais são materiais utilizados em larga escala por apresentarem propriedades de resistência, maleabilidade, durabilidade, entre outras. Porém, estão sujeitos a ter sua vida útil reduzida por processos como o da corrosão. O presente estudo foi conduzido no reservatório de abastecimento hídrico da Cidade de Pau dos Ferros/RN. Para tanto, realizou-se uma revisão bibliográfica, pesquisas de campo e registros fotográficos. O local no qual a barragem está situada mescla um ambiente de grande umidade com uma região árida, o qual deixa os solos mais salinos e com capacidade de absorver mais calor do ambiente. Outro problema é a exposição dos materiais a altas temperaturas e esforços mecânicos. Consequente, todos esses fatores estão contribuindo para acelerar o processo de corrosão. Desse modo, para amenizar os efeitos dos problemas já desencadeados, é essencial o condicionamento adequado das tubulações, além da realização da limpeza e pintura dos equipamentos, afim de remover os óxidos das superfícies corroídas e retardar o processo. É necessário também que seja realizado o descarte adequado das peças irreparáveis.

Introdução: A corrosão é uma problemática muito presente no cotidiano, visto que todos os compostos metálicos, bem como seus derivados estão propícios a se deteriorarem. Assim, este fenômeno pode ser descrito como um processo espontâneo resultante da atuação do meio sobre diversos materiais, proporcionando a deterioração e a redução da vida útil. Conforme Guimaraes (2004), cientificamente, o termo corrosão é empregado afim de designar o processo de destruição total, parcial, superficial ou estrutural dos materiais por um ataque eletroquímico, químico ou eletrolítico. Com base nesta definição, pode- se classificar à corrosão em: eletroquímica, química e eletrolítica. A corrosão eletroquímica é um processo natural que ocorre com muita frequência na natureza, esta tem como característica principal a interação do material metálico com um eletrólito que normalmente é um meio aquoso. A partir dessas interações, ocorre a formação das pilhas de corrosão e a degradação do material. Em relação a corrosão química, esta se caracteriza como um ataque direto de um agente químico sobre uma superfície ou estrutura metálica, não há a necessidade da presença de água e tão pouco a migração de elétrons. Esse processo ocorre principalmente quando o meio corrosivo é um meio ácido, onde além da degradação do material ocorre a formação de um produto resultante da oxidação na superfície. Já a corrosão eletrolítica, é um processo não-espontâneo que ocorre mediante a aplicação de uma corrente elétrica. Com base em Ferreira (2002), as formas de corrosão podem ser apresentadas considerando se a aparência ou forma de ataque, bem como as diferentes causas da corrosão. Assim, pode-se estudar este fenômeno segundo a morfologia e os mecanismos. Os principais tipos de corrosão provenientes da morfologia são: por placas, uniforme e puntiforme. Quanto aos tipos provenientes dos mecanismos destacam-se a corrosão galvânica, em torno do cordão de solda e a corrosão advinda das solicitações mecânicas. Além dos tipos de corrosão é necessário destacar e classificar os meios corrosivos. Estes podem ser dispostos de acordo com as características do ambiente. Assim, podem ser classificados em rural, urbano, marinho e industrial, podendo ocorrer a combinação desses meios e a formação de novos ambientes. O meio rural é caracterizado por ser um ambiente com pouca concentração de poluentes, o que o torna corrosivamente menos agressivo. Quanto ao espaço urbano, este possui uma concentração de poluentes atmosféricos significante, este fator vem a contribuir para desencadear ou acelerar a corrosão. No que se refere aos ambientes industriais, há uma concentração de sulfatos e outros derivados do enxofre, tais compostos são altamente corrosivos. Já o ambiente marinho, se torna um agressor devido as altas concentrações de sais e íons cloreto, estes aceleram o processo de corrosão e consequentemente interferem negativamente na conservação dos materiais metálicos. Independentemente do meio ou da classificação, a corrosão contribui para o surgimento de uma série de fatores com alto potencial danoso que interferem no bem estar da sociedade, bem como na conservação dos recursos naturais. No âmbito econômico, este processo desencadeia prejuízos elevados em decorrência das perdas de investimentos. Guimaraes (2004), destaca que 30% do material metálico produzido é direcionado a reposição ou reparos de provenientes da corrosão. Além disso, tal fenômeno é responsável por ocasionar contaminações, induzir a exploração de matéria não renovável e assim, contribui também para uma serie de perdas sociais devido aos acidentes propiciados pelo processo corrosivo. Neste sentido, o estudo a acerca do processo corrosivo aplicado em tubulações e equipamentos de distribuição hídrica é fundamental para auxiliar a conservação de tais estruturas, o que assegura maior qualidade nos serviços prestados pela companhia. Além disso, possibilita a economia com gastos em manutenção e substituição de ferramentas. Mediante tal discussão, e considerando a crise hídrica sofrida pelas cidades localizadas no semiárido nordestino esse estudo, é imprescindível ainda para a melhoria no controle do abastecimento e evita desperdício. Logo, essa pesquisa tem como objetivo principal analisar o processo corrosivo existente nos equipamentos dos reservatórios de abastecimento hídrico da Cidade de Pau dos Ferros/RN.

Autores: CARLA CAROLINE ALVES CARVALHO; MANOEL MARIANO NETO DA SILVA; WILLIAM VIEIRA GOMES; DANIELA DE FREITAS LIMA e ALMIR MARIANO DE SOUSA JUNIOR.

Leia o estudo completo: analise-do-processo-corrosivo-sofrido-nos-equipamentos-e-tubulacoes-do-reservatorio-de-abastecimento-hidrico-da-cidade-de-pau-dos-ferros-rn