BIBLIOTECA

Água, fonte da vida

Resumo

Água, fonte da vida – Este trabalho objetivou mobilizar toda a comunidade da Escola Estadual do Parque São Jorge para a questão da água, de uma forma global e abrangente. Pautando-se na função de gerar pessoas mais conscientes e criticas, para atingir um meio ambiente equilibrado, por meio da interação com uma comunidade escolar mais atuante. Desta forma buscouse na comunidade escolar e nos professores, fontes de temas ambientais para serem apresentadas e discutidas sobre a importância da água. Os resultados foram satisfatórios e apontaram para uma mudança de comportamento e tomadas de novas decisões pela comunidade escolar. Isto sinalizou para uma forma prática e sadia de se conservar, preservar e viabilizar a água potável, assim como, manter meio ambiente equilibrado para gerações futuras.

Introdução

A educação ambiental forma e prepara cidadãos para uma reflexão critica e para uma ação transformadora do sistema, de forma a viabilizar o desenvolvimento integral dos seres humanos (PELICIONI; PHILIPPI JR, 2014).

De acordo com Deboni et al. (2009), a escola tem um papel fundamental na educação ambiental e para a construção de sociedades sustentáveis. A educação ambiental nas escolas prepara para cidadania por meio de ações individuais e coletivas que influenciam a participação e a formação de grupos sociais de pressão comprometidos com a reforma do sistema capitalista. Segundo Guimarães (2000), numa visão Gramsciana sobre o embate capitalista refere-se a duas linhas de propostas educativas: Uma que esta baseada nos interesses populares de emancipação e na melhor qualidade ambiental e a outra linha que defende os interesses do capital, do mercado e dos grupos dominantes.

A água está presente em todos os seres vivos, sendo indispensável para a vida deste planeta, então é um recurso vital para todos os seres vivos inclusive os seres humanos, a água é o constituinte inorgânico mais abundante na matéria viva, no homem representa 60% do seu peso; nas plantas atinge até 90% e em determinados seres aquáticos chega á 98% ( BASSOI, 2014)

E ao observar que em media 75% da superfície do planeta Terra é composta por água, não se imagina como é possível falar em escassez de água. Mas deve-se fazer algumas ponderações: Primeiramente é impossível e indiscutível falar sobre fim da água em nosso planeta. A água não se acaba ela sempre estará presente no planeta Terra, pois ao ser um elemento químico tem massa que é atraída pela força gravitacional de nosso planeta. Então não há cabimento em falar do fim deste recurso e deve-se retirar esta falácia do pensamento de nossos estudantes (VARGAS, 1999).

Para entender bem sobre este recurso é fundamental compreender o Ciclo Hidrológico, ou seja, o caminho que a água percorre na natureza. A hidrologia é a ciênciaque estuda o comportamento e a distribuição da água na natureza e esta explica realmente que a água encontra-se na atmosfera e nas camadas superficiais terrestres. A água é a substancia mais abundante no planeta, e esta distribuída na forma de três estados físicos: sólido, líquido e vapor, nos oceanos, rios e lagos, nas calotas polares e geleiras, no ar e no subsolo. A água dos oceanos representa em torno de 96% do total disponível na terra, somado as águas salgadas subterrâneas e a de lagos, esta totaliza 98% de água salgada, indisponível para uso direto em principio. O restante é água doce 2%, do total de água doce, e 70% esta nas geleiras e na atmosfera, restando deste total somente 30% nas águas subterrâneas inacessíveis e nas águas superficiais. Portanto, a água disponível diretamente para o homem são as águas superficiais em media 0,3% ou 4 milhões de km³ que se encontra principalmente no solo, é desta onde retira-se a maior parte da agua para o uso em diversas atividades e é a que esta mais propensa a poluição e desperdício.

Infelizmente este não é o fator agravante, pois cerca de 98% da água do planeta encontra-se sobre a forma líquida. Agora o que realmente deve ser preocupante é que esta água é salgada e se for ingerida causa desidratação, pois o sal dissolvido em grande concentração ao ser eliminado do corpo pelo rim precisa de uma maior quantidade de água para a retirada deste sal. Outro problema é a porção da água doce, esta além de representar uma minoria na quantidade do planeta em relação a água salgada, também está distribuída de forma irregular ao redor do globo e inclusive no próprio Brasil. Enquanto tem-se regiões desérticas e semidesérticas no planeta a hidrografia mostra também regiões com grandes rios e florestas tropicais úmidas exuberantes locais onde a água é muito abundante (BASSOI, 2014).

Observa-se que, com atitudes simples de comportamento e de preservação no nosso cotidiano reduze-se o desperdício de este recurso. E como fiscalizadores e conhecedores das formas de poluição das águas pode-se ser incisivos para não ter-se o fim da forma mais preciosa de água para os seres humanos a água potável. Pois, para ser própria para o consumo a água deve ser: Líquida, doce e sem a presença qualquer de agentes patogênicos. E por fim são estes três fatores que causam a água tão escassa e rara no planeta colocando em risco a sobrevivência no planeta água.

Água também é necessária para a indústria, agropecuária, navegação, para as comunidades aquáticas, para lazer, para pesca e para o paisagismo. Deve-se defender a água para que todos conservem este elemento de forma a não faltar e não impedir a vida, nem a cadeia produtiva. Porém, o aumento das populações nas cidades e a necessidade da melhoria da qualidade de vida por meio de políticas de urbanização não sustentáveis, e a poluição estão gerando escassez de água, como esta ocorrendo atualmente no estado de São Paulo.

Observa-se que nosso país, necessita criar uma política hídrica mais séria para pressionar e fiscalizar todos os setores que consomem e elaboram políticas de controle da oferta e demanda deste recurso tais como os Comitês de Bacias, que é o parlamento das águas. Desta forma tem-se uma logística adequada da oferta e demanda deste recurso que tende a ser escassa. Se olhar pelo lado da administração pública seria inadmissível o que está ocorrendo no estado mais rico e de maior PIB deste país (VARGAS, 1999).

Desta forma procurou-se mobilizar toda a comunidade escolar à conscientização e a busca muitas vezes utópica (AB´SABER, 1991) visando um meio ambiente saudável e equilibrado (BRASIL, 1988). Mostrando de modo transversal (BRASIL, 1997a) (BRASIL, 1997b) (BRASIL, 1997c) (BRASIL, 1997d) (BRASIL, 2002) e interdisciplinar suas inúmeras necessidades, seus ciclos e sua vital importância para toda a humanidade (ONU, 1995) e para todos os seres vivos deste planeta.

Este trabalho teve como objetivo discutir a importância da água (Água fonte da vida), a péssima gestão do recurso hídrico tendo como consequência o desperdício e a poluição deste recurso na escola. Segundo eixos transversais, água no meio ambiente e água e saúde (BRASIL, 1997a) (BRASIL, 1997b) (BRASIL, 1997c) (BRASIL, 1997d) (BRASIL, 2002) (ONU 1995).

Autores: Rodrigo Alves dos Reis, Michela Carla Sanches e Alírio Coromoto Daboin Maldonado.

Água fonte da vida


LEIA TAMBÉM: DIA MUNDIAL DA ÁGUA CELEBRA PRIMEIROS AVANÇOS DO MARCO DO SANEAMENTO NO BRASIL