BIBLIOTECA

Planeamento de ações de manutenção preventiva aplicadas a filtros hidráulicos

Resumo

A manutenção preventiva assenta sobre uma base de trabalho sustentada por um período de troca bem definidos. Para tal, terá que haver uma sustentação muito concreta de todas as atividades a realizar pelo que, todos os intervenientes, operações e componentes de substituição deverão estar previamente definidos e devidamente identificados. Neste artigo apresentam-se as ações desenvolvidas para realizar o planeamento, ordens de trabalho, das operação de manutenção preventiva, aplicada a circuitos hidráulicos de máquinas fresadoras de uma instalação industrial de produção de moldes.

Introdução

Qualquer que seja o modelo de manutenção adotado numa qualquer instalação industrial haverá, num determinado instante, a necessidade de esta ser programada. Não haverá dúvidas, muito menos para quem diariamente trabalha na manutenção, que a manutenção preventiva sistemática será o exemplo principal desta ação de programação. No entanto, a programação das ações de intervenção, sejam elas de carris corretivo (deferida) ou preventivo, deverão ser devidamente planeadas quer no que diz respeito aos espaços temporais da intervenção quer aos componentes, pessoal e horas a despender. Neste sentido o acesso à informação, quer esta se encontre em papel ou suportada por sistemas informáticos, assumirá um papel preponderante na definição das intervenções e seus intervalos, bem como no seu correto planeamento. Assim sendo, a qualidade da decisão, quando e como intervir, dependerá das informações que se encontrarão disponíveis no momento em que o gestor da manutenção a terá que tomar. Para Herbert Simon (Simon, 1963), a tomada de decisão é um processo de análise e de escolha, entre várias alternativas disponíveis, que a pessoa deverá seguir. Dessa forma, a falta de informações, a existência de informações imprecisas ou desatualizadas afetarão o processo de decisão, conduzindo a más decisões, e como tal a um planeamento desajustado, que se refletirá numa intervenção mais demorada e com custos mais elevado.

É, pois, com base nos pressupostos anteriores que o trabalho agora apresentado (resultado de mais um estágio curricular da Licenciatura em Engenharia Mecânica do ISEP – Instituto Superior de Engenharia do Porto) foi desenvolvido. Assim sendo, este tem como objetivo, utilizando as Tecnologias da Informação (TI) bem como registos em papel, a criação de Ordens de Trabalho (OTs) associadas aos sistemas hidráulicos de equipamentos produtivos (Figura 1) adstritos ao setor de construção de moldes da MDA – Moldes de Azeméis, S.A., pertencente ao Grupo Simoldes.

Autores: Adriano A. Santos; Pedro Costa e Filipe Tavares.

leia-integra