BIBLIOTECA

Avaliação da medição de vazão em um setor de abastecimento em termos de velocidade na tubulação e range do medidor buscando-se otimizar o dimensionamento para gestão da macromedição como ferramenta para o controle de perdas

Resumo

A cada dia vêm piorando as condições de disponibilidade hídrica na região das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí. Neste contexto, a redução de perdas vem se apresentando como uma alternativa imprescindível para garantir a sobrevida dos sistemas de abastecimento. Entretanto, os índices de perdas ainda têm grande potencial de melhora. As decisões sobre as ações a serem realizadas frequentemente esbarram na falta de confiabilidade do balanço hídrico referenciado fundamentalmente na macromedição.

O presente trabalho visa avaliar o comportamento hidráulico de um determinado ponto de medição diante da variação de parâmetros de projeto e indicadores operacionais de um setor de abastecimento. A metodologia utilizada baseou-se em revisão bibliográfica, caracterização da área de estudo e construção de cenários de demanda. Os resultados obtidos demonstram a importância do correto dimensionamento dos medidores de vazão, procurando-se conciliar o range de medição dos equipamentos e a faixa de vazão do sistema. Por fim, a abordagem deste trabalho permite nortear, respeitando-se as particularidades de cada região, como, por exemplo, perfil de consumo e grau de ocupação dos empreendimentos, uma melhoria no processo de implantação e/ou adequação dos pontos de medição de vazão.

Introdução

A região das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí apresenta elevados patamares de crescimento e desenvolvimento aliados a condições críticas de disponibilidade hídrica.

Diante deste cenário, a redução de perdas representa uma alternativa de equacionamento entre oferta e demanda visando garantir a sobrevida dos sistemas de abastecimento.

Neste contexto, uma etapa fundamental no ciclo de gestão consiste na obtenção de dados corretos e representativos para cada fator interveniente, a contabilização dos resultados e a sua tradução em indicadores do processo operacional em análise, no caso o volume distribuído a um setor de abastecimento, tanto nas horas de maior quanto nas de menor consumo. Desta forma, considerando-se a complexidade dos sistemas de abastecimento, as medições hidráulicas constituem a base para a maioria dos estudos e projetos de engenharia e, ao mesmo tempo, norteiam, a tomada de decisão visando à otimização de recursos no combate às perdas. Portanto, a exatidão das mesmas é imperativa para o sucesso de qualquer projeto e processo de gestão.

Para o desenvolvimento deste trabalho, escolheu-se um setor de abastecimento do Município de Jarinu, cujos sistemas de água e esgotos são operados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp, tendo como objetivo a avaliação de um determinado ponto de medição de vazão instalado na adutora de saída de um reservatório de distribuição.

A metodologia utilizada baseou-se em revisão bibliográfica, caracterização da área de estudo e construção de cenários de demanda para simulação do comportamento hidráulico do ponto de medição diante da variação de alguns dados de projeto e indicadores operacionais.

Autora: Ane Caroline Grisolio Machion.