Notícias

Água pode ficar inacessível para um terço dos americanos nos próximos cinco anos

Publicado em 09/02/2017 às 08:23:18

Análises confirmaram que  mudanças climáticas, disponibilidade de água e infraestrutura defasadas têm reflexos na conta de água nos EUA

Se as tarifas de água continuarem subindo nos Estados Unidos, conforme o previsto, o número de moradores incapazes de pagar pelo serviço de água poderá ser triplicado em cinco anos, chegando a 36%, afirma estudo realizado por pesquisadores do Michigan State University.

A infraestrutura defasada é um dos fatores para o aumento das tarifas. Especialistas dizem que seria necessário investir nos próximos 25 anos mais de 1 trilhão de dólares (cerca de 3,12 trilhões de reais) para substituir sistemas criados no período da Segunda Guerra Mundial.

Outra pressão está nas mudança climática, já que a maior ocorrência de eventos extremos impõe melhorias nas instalações. Fazer essas adaptações custaria aos Estados Unidos mais de 36 bilhões de dólares (cerca de 112 bilhões de reais) até 2050, segundo estimativas. Um terceiro problema  está na redução da população ou inadimplência em cidades como Detroit e Filadélfia. Isso significa menos pessoas para pagar o custo fixo da operação.

O aumento já começou

Os pesquisadores observaram que as tarifas de água têm aumentado, em média, 41% desde 2010 e, se elas continuarem a crescer nesse ritmo, nos próximos cinco anos o número de famílias que não poderão pagar pelos serviços de água e esgoto pode subir para cerca de 40,9 milhões, ou 35,6% de todos os domicílios.

“Nas cidades dos Estados Unidos, a disponibilidade de água está se tornando um problema cada vez mais crítico,” disse Elizabeth  Mack, professora assistente de Geografia e uma das autoras do estudo publicado no periódico científico PLOS ONE.

Vale lembrar que nos Estados Unidos, gastos com serviços de água e esgoto combinados devem responder por não mais de 4,5 % da renda familiar, segundo recomendação da Agência De Proteção Ambiental (EPA, da sigla em inglês). A análise dos pesquisadores do MSU  concluiu que 13,8 milhões de residências (ou 11,9 % de todos os domicílios) já estão nessa realidade.

Em última análise, o estudo defende que governos, usuários e consumidores precisam trabalhar juntos para resolver o crescente problema de acessibilidade. “A água é um direito fundamental para todos os seres humanos”, disse Mack. “No entanto, um número crescente de pessoas nos Estados Unidos, e em todo o mundo,  enfrentam barreiras diárias para o acesso à água potável”.

Fonte: Juntos pela Água.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *