Notícias

ADI Systems visa novos mercados na América do Sul

Publicado em 19/05/2016 às 09:27:06

Empresa é referência no fornecimento de sistemas de tratamento de efluentes industriais

Depois de conquistar mercados no Canadá, Estados Unidos e Nova Zelândia, a ADI Systems reforça sua atuação na América do Sul, especialmente no Brasil, Argentina e Chile. Atualmente, a empresa conta com sete plantas em operação e construção em países latinos, sendo quatro delas com o carro-chefe da marca, o reator ADI-BVF – tecnologia que possibilita menor índice de consumo químico, baixa utilização de energia e mão de obra, além de pouca geração de lodo.

“Chegamos ao Brasil há três anos e já somamos importantes cases de sucesso. Atualmente, temos uma obra em andamento no Uruguai e nossa intenção, ainda para esse ano, é alcançar os mercados da Argentina e do Chile. Em todos os casos, oferecemos opções personalizadas, que não apenas solucionam as necessidades desses clientes, mas também geram retorno positivo, como reutilização de subprodutos, economia de energia, entre outros”, afirma o presidente da ADI Systems, na América do Sul, José Luiz Papa.

Localizada em Pirassununga, interior de São Paulo, a sede da ADI Systems no Brasil é uma subsidiária, que possui o mesmo padrão de trabalho da matriz canadense. As indústrias de médio e grande porte, principalmente do mercado de alimentos e bebidas, são as grandes apostas da empresa. “Oferecemos soluções em processos anaeróbico e aeróbico de águas residuais, o trato do biogás e a utilização de energia renovável recuperada. O tratamento dos chamados efluentes – resíduos líquidos gerados a partir de processos industriais – é uma forma de proteção ao meio ambiente, portanto uma exigência da legislação ambiental”, explica o presidente.

Entre os diferenciais competitivos da ADI Systems, a personalização de cada projeto, entendendo a tecnologia que cada cliente necessita, é o que mais se destaca. Além disso, a empresa participa da concepção e construção do projeto; criação do design; aquisição e fabricação; construção e gerenciamento da instalação; exame de caracterização do resíduo tratável e estudos pilotos; integração de sistemas novos nas operações atuais da instalação; comissionamento e treinamento do sistema e suporte técnico. “Estamos presente em cada etapa do processo, munindo nosso cliente com o que há de melhor e mais moderno no mercado”, explica Papa.

Atualmente, muitas empresas já contam com a solução de tratamento de efluentes. Até 2020, a expectativa da ADI Systems é que mais indústrias incorporem a tecnologia.

Novos negócios
De acordo com o presidente da ADI Systems, José Luiz Papa, o mercado de tratamento de efluentes industriais é cada vez mais crescente em virtude do aumento da necessidade e preocupação com o meio ambiente. Além disso, a ampliação das unidades fabris e a crise hídrica, que traz o debate sobre reciclo e reuso da água, são fatores que levam as empresas a cada vez mais procurarem pelas ETE´s.
Para aumentar a participação no mercado latino, a empresa constantemente participa de feiras e eventos voltados para o segmento de atuação. “São nesses eventos que temos a oportunidade de conhecer o cliente, entender sua necessidade e avaliar a melhor tecnologia que possa atendê-lo no que se refere a investimento, área, qualidade e tipo de tratamento”, conclui Papa.

Sobre a ADI Systems
ADI Systems Inc., uma empresa da ADI Group Inc., do Canadá, oferece soluções em tratamento de efluentes, digestão anaeróbia e utilização de biogás para indústrias há mais de 30 anos. Conta com mais de 200 instalações, projetos em 35 países e continua sendo um dos maiores fornecedores de tecnologias de tratamento no mundo.

Com escritórios no Canadá, EUA, Brasil e Nova Zelândia, a empresa possui vasta gama de tecnologias projetadas, especificamente, para atender aos complexos desafios do tratamento de águas residuais industriais. Para isso, apresenta projetos personalizados focados no tratamento anaeróbico e aeróbico águas residuais, beneficiamento do biogás e utilização de energia renovável recuperada, além de reutilização de água.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *