BIBLIOTECA

Granulação aeróbia natural em um reator em bateladas sequenciais para tratamento de esgoto sanitário

Resumo: A aplicação da tecnologia de grânulos aeróbios, desenvolvidos em reatores em bateladas sequenciais, para o tratamento de esgoto sanitário, tem se mostrado muito atrativa, visto as suas inúmeras vantagens em comparação aos sistemas convencionais de lodos ativados. Entretanto, muitos dos mecanismos associados ao processo de granulação aeróbia ainda são desconhecidos, diminuindo assim a viabilidade de implantação desses sistemas em escala real e destacando a necessidade de novos estudos. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar o processo de granulação aeróbia natural em um reator em bateladas sequenciais (RBSG), para tratamento de esgoto sanitário. A operação do reator se deu em ciclos de 4 horas, com etapas de enchimento, fase anóxica, aeração, sedimentação e descarte, com volume útil de 98 litros, percentual de troca volumétrica de 56% e velocidade superficial ascensional de ar igul a 1,1 cm∙s-1. Durante o período de monitoramento do reator desenvolveram-se duas estratégias operacionais, com base no tempo de duração da fase anóxica, que foi de 13 minutos na estratégia I e de 30 minutos na estratégia II. Observou-se que aos 16 dias de operação a biomassa do reator já era predominantemente granular, com diâmetro médio das partículas de 660 µm e porcentagem de grânulos superior a 80%. No entanto, está condição não se manteve estável, tendo-se observado uma redução gradual do diâmetro médio até o dia 57, a partir do qual a porcentagem dos grânulos se estabilizou, mantendo-se em torno de 60% até o fim da primeira estratégia. Na estratégia II, a porcentagem dos grânulos manteve-se em torno de 40%, com diâmetro médio oscilando entre 150 e 300μm.O aumento do tempo da fase anóxica, nessa estratégia, refletiu na melhora de características da biomassa, tais como: densidade e sedimentabilidade, sendo a r05azão IVL30/IVL10em torno de 80%. Em relação às eficiências de tratamento, a estratégia II apresentou maior percentual de remoção carbonácea, ficando em torno de 80%. Essa melhora no tratamento também se refletiu para o nitrogênio amoniacal, cujas remoções médias foram de 25±22 % e 57±18%, para as estratégias I e II, respectivamente. Concluise que é possível formar grânulos aeróbios de forma natural, sem inoculação com lodo biológico, no entanto, estes mostraram relativamente instáveis, indicando que um maior tempo para a completa maturação se faz necessário.

Autores:  Maurício de Jesus

Leia o estudo completo: Granulação aeróbia natural em um reator em bateladas sequenciais para tratamento de esgoto sanitário