BIBLIOTECA

Avaliação do uso de um composto híbrido como agente protetivo e antibacteriano em tanques de água potável construídos em concreto

Resumo

A necessidade de que novos produtos criados cientificamente sejam empregados na resolução de problemas e no melhoramento de processos e atividades comuns na sociedade existe, e por isso que o presente trabalho teve como objetivo principal validar o uso de um composto híbrido para revestimento de concreto, em especial em tanque de contato de estação de tratamento de água. O composto híbrido em questão é um oligossilazano comercialmente disponível (ML33) que foi funcionalizado com nanopartículas de prata (AgNP), espera-se que o produto atue como revestimento protetivo e antibacteriano. Após testes de ângulo de contato e análise de crescimento microbiológico, foi possível concluir que o revestimento é capaz de deixar a superfície do concreto hidrofóbica e com propriedades antibacterianas.

Introdução

Os materiais híbridos, que são em resumo a combinação de compostos orgânicos e inorgânicos em escala molecular, têm grande destaque por oferecer ótimos efeitos da combinação sinérgica das diferentes características dos componentes de origem, podendo até apresentar novas propriedades resultantes da mistura dos reagentes, e é exatamente esse consórcio das propriedades que supre as necessidades encontradas em processos reais.

Estruturas de concreto são amplamente utilizadas na sociedade, encontram-se em obras residenciais, comerciais, de infraestrutura e também na esfera industrial. Na área industrial além de toda a estrutura de suporte e de abrigo, o concreto pode ser usado na fabricação de equipamentos como fornos e moinhos. Há uma atividade de grande importância na sociedade que utiliza o concreto na fabricação das suas instalações, a atividade de tratamento de água e esgoto, ou seja, o saneamento. O saneamento utiliza o concreto na fabricação da maioria das suas estruturas: gradeamento, calha Parshall, caixa de areia, galerias, decantadores, adensadores, leitos de secagem, reatores, tanques de contato, tanques pulmão e etc.

Apesar do seu amplo uso o concreto possui algumas limitações, e um aspecto que requer atenção é o processo de corrosão que ocorre no material, em especial no concreto armado, devido à presença das barras de ferro que são adicionadas no seu interior para o aumento da resistência da estrutura. O processo de corrosão no concreto causa a deterioração da estrutura, sendo assim qualquer estrutura de concreto precisa de manutenção ao longo de sua vida útil e/ou do emprego de agentes protetivos, para evitar a precoce inutilização da mesma.

Uma maneira de prolongar a vida útil dessas estruturas é revesti-las superficialmente, e este estudo prevê a utilização de um composto híbrido para esse recobrimento. O revestimento em teste é sintetizado a partir de um oligossilazano comercialmente disponível (ML33), nitrato de prata e dimetilformamida (DMF) como solvente. A ação do ML33 e do MDF sobre o nitrato de prata dará origem a redução da prata e a formação das nanopartículas do metal, com isso a resultante é um material híbrido com nanopartículas de prata incorporadas. A intenção desse trabalho é que o revestimento proteja o substrato atuando como barreira física e como barreira biogênica, pela ação do polissilazano (ML33) e das nanopartículas de prata, respectivamente.

Autora: Aline Regina Godinho de Oliveira.