BIBLIOTECA

Limpeza Prévia (BOIL OUT) de Caldeiras Novas

Praticamente todas as caldeiras novas têm suas superfícies metálicas internas contaminadas por óleos, graxas, tintas e outros materiais que podem resultar do processo de fabricação do equipamento ou de sua proteção antes e durante a montagem.

 

O efeito indesejável de óleos e graxas em uma caldeira é fazer com que a superfície metálica fique não umectável, isto é, que não se deixe molhar pela água em uso na caldeira. Em conseqüência, acontecem a fervura superficial e o superaquecimento do metal.

Se o contaminante oleoso for saponificável, é; provável a ocorrência de espuma. Mais ainda, o óleo serve como um núcleo de formação e um ligante para incrustações em pontos quentes, e freqüentemente aglomera lama e sólidos suspensos da caldeira na forma de “bolas de óleo”, especialmente em seções turbulentas como os tubulões de vapor ou os distribuidores da parede de água, em decorrência dos redemoinhos de água nestes pontos.

 

Verifica-se também que incrustações contendo óleo se encontram, de vez em quando, nos tubos da parede de água.

A remoção destes contaminantes é; obtida pela adição de produtos alcalinos, que em geral são uma combinação de alcalinizantes, saponificantes, fosfatos, nitratos e agentes tensioativos, com a finalidade de remover, dispersar e manter em solução os contaminantes descritos acima.

 

O uso de fosfatos e / ou nitratos tem a finalidade de prevenir corrosão por stress, associada ao uso de soda cáustica.

 

O processo normalmente é levado a efeito adicionando-se os produtos químicos perfeitamente dissolvidos à caldeira já Préviamente cheia até a metade com água; depois de recircular por cerca de uma hora, para assegurar a homogeneidade da solução, completar o nível de água, fechar a caldeira e acender o queimador, aumentando lentamente a pressão ( não mais de 3-4 kg/cm² por hora), de modo a atingir no máximo 50% da pressão de trabalho. Esta pressão deve ser mantida por 24 horas, podendo ser reduzida em caso de caldeiras fogotubulares.

 

Após esta etapa, o queimador deve ser apagado e a caldeira deve ser resfriada gradual e cautelosamente. A solução de limpeza deve ser descartada de acordo com as normas ambientais em vigor. Depois de enxaguar com água limpa e desaerada ( ou tratada com um seqüestrante de oxigênio), a caldeira está pronta para a inspeçã;o interna ou colocação em funcionamento.

 

As guarnições em todas as tampas, bocas de inspeção ou de visita que tenham sido abertas ou que mostrem sinais de vazamento devem ser substituídas.

 

Os visores de nível de vidro devem ser inspecionados e trocados caso manifestem sinais de dano devido às soluções alcalinas.

 

Antes de finalmente recolocar a unidade em serviço, é; necessário fazer os testes hidrostáticos de praxe.

Fonte: http://www.aquaplan.com.br/