NOTÍCIAS

tratamento-de-agua

Funasa monitora qualidade da água em Porto Velho/RO

Análises realizadas pela Funasa, em parceria a Fiocruz, apresentaram tratamento inadequado, insuficiente ou inexistente, além da necessidade de providências no abastecimento distribuído pela concessionária e nas soluções alternativas coletivas e individuais.

agua-de-reuso

ArcelorMittal Tubarão adota água de reúso de esgoto sanitário para fins industriais

A ArcelorMittal Tubarão e o governo do Espírito Santo assinaram um termo de compromisso que prevê a compra mensal para fins industriais, pela produtora de aço, de 540 metros cúbicos/hora (ou 150 litros/segundo) de água de reúso de esgoto sanitário, proveniente de efluentes da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Reúso da CESAN.

peixes

Doença da urina preta: o que se sabe sobre possível surto no Amazonas

A 176 quilômetros de Manaus, a cidade de Itacoatiara chamou a atenção das autoridades sanitárias do Amazonas nos últimos dias. Desde 22 de agosto, dezenas de moradores do local apresentam um quadro chamado rabdomiólise, marcado pela destruição das fibras que compõem os músculos do corpo.

tratamento-de-agua

Funasa monitora qualidade da água em Porto Velho/RO

Análises realizadas pela Funasa, em parceria a Fiocruz, apresentaram tratamento inadequado, insuficiente ou inexistente, além da necessidade de providências no abastecimento distribuído pela concessionária e nas soluções alternativas coletivas e individuais.

agua-de-reuso

ArcelorMittal Tubarão adota água de reúso de esgoto sanitário para fins industriais

A ArcelorMittal Tubarão e o governo do Espírito Santo assinaram um termo de compromisso que prevê a compra mensal para fins industriais, pela produtora de aço, de 540 metros cúbicos/hora (ou 150 litros/segundo) de água de reúso de esgoto sanitário, proveniente de efluentes da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Reúso da CESAN.

peixes

Doença da urina preta: o que se sabe sobre possível surto no Amazonas

A 176 quilômetros de Manaus, a cidade de Itacoatiara chamou a atenção das autoridades sanitárias do Amazonas nos últimos dias. Desde 22 de agosto, dezenas de moradores do local apresentam um quadro chamado rabdomiólise, marcado pela destruição das fibras que compõem os músculos do corpo.